Pequim
 
Brasil
 

Pequim 2008

Domingo, 24 de agosto de 2008, 12h02 Atualizada às 12h12

Fracasso brasileiro e domínio chinês marcam os saltos ornamentais

  • Notícias

Direto de Pequim

O Brasil chegou para as competições de saltos ornamentais em Pequim com quatro atletas, mas volta pra casa com as mãos vazias, livres para aplaudir o sucesso chinês nessa modalidade.

As primeiras medalhas foram distribuídas no dia 10 de agosto. Na competição feminina do trampolim de 3 m sincronizado, o ouro foi para as chinesas Jingjing Guo e Minxia Wu, que terminaram com 343,50 pontos, quase 20 a mais do que a dupla russa Julia Pakhalina e Anastasia Pozdnyakova e pouco menos de 25 à frente das alemãs Ditte Kotzian e Heike Fischer.

No dia seguinte foi a vez dos homens começarem a disputa, no salto sincronizado da plataforma de 10 m. A China acabou em primeiro novamente, com Yue Lin e Liang Huo, que somaram 468,18 pontos. A Alemanha ficou com a prata (Patrick Hausding/Sascha Klein) e a Rússia com o bronze (Gleb Galperin/Dmitriy Dobroskok).

No mesmo evento, só que para mulheres, realizado no dia 12 de agosto, o ouro foi novamente para o país-sede. Xin Wang e Ruolin Chen somaram 363,54 pontos, deixando para trás as australianas Briony Cole e Melissa Wu, e as mexicanas Paola Espinosa e Tatiana Ortiz.

A competição masculina no trampolim de 3 m completou o quarto dia seguido de finais, e a China ganhou sua quarta medalha de ouro, com a dupla Feng Wang e Kai Qin somando 469,08 pontos, mais de 47 de vantagem para os vice-campeões, a dupla da Rússia formada por Dmitry Sautin e Yuriy Kunakov. Os ucranianos Illya Kvasha e Oleksiy Prygorov completaram o pódio.

Passadas as competições em duplas, deu-se início, no dia 15, aos eventos individuais. Se o tipo de disputa mudou, o hino tocado ao final da prova foi o mesmo: o chinês. No trampolim de 3 m para mulheres, Jingjing Guo venceu, ao somar 415,35, superando a concorrente russa Julia Pakhalina e outra representante local, Minxia Wu.

O Brasil fez sua estréia na modalidade no dia 18, no trampolim de 3 m para os homens. Cesar Castro disputou as preliminares, mas não passou do 24º lugar, com 400,60 pontos. O último classificado para a fase seguinte, o italiano Nicola Marconi, 18º, somou 430,90 pontos.

Na final, a China levou ouro e bronze. Chong He somou 572,90 pontos para ficar em primeiro, bem à frente do canadense Alexandre Despatie, com 536,65. Kai Qin fechou o pódio, com 530,10 pontos.

Juliana Veloso caiu na piscina do Cubo d'Água no dia 20, para a competição na plataforma de 10 m. Ao contrário do que ocorreu em Atenas 2004, quando foi semifinalista tanto na plataforma quanto no trampolim de 3 m, a brasileira ficou longe de um bom desempenho.

Na etapa preliminar, que classificou 18 competidoras para as semifinais, Juliana terminou em 23º, com 283,75 pontos. Jin Ok Kim, da Coréia do Norte, a última classificada, ficou com 291,90.

Na final, sem novidades, o ouro ficou com Ruolin Chen, da China, com 447,70 pontos, seguida da canadense Emilie Heymans, com 437,05, e da também chinesa Xin Wang, com 429,90.

A última prova da programação dos saltos ornamentais na Olimpíada de Pequim teve a disputa na plataforma de 10 m para homens. Contando com dois atletas, o Brasil ficou sem medalhas. Hugo Parisi terminou as preliminares em 19º, com 412,95 pontos, enquanto Cassius Duran foi o 24º, com 389,65 pontos. O 18º, e último a se classificar para a próxima fase, o colombiano Juan Guillermo Uran, garantiu sua vaga com 418 pontos.

Quando se esperava que a China utilizasse a final apenas para ratificar mais uma medalha de ouro, eis que um australiano estragou a festa. Matthew Mitchan conseguiu o título ao somar 537,95 pontos depois de seis saltos, pouco mais de quatro de vantagem para o chinês Luxin Zhou, que ficou com a prata, e 12 para o russo Gleb Galperin, que completou o pódio.

Um fato curioso dessa modalidade nos Jogos de Pequim foi a participação do britânico Thomas Daley, de apenas 14 anos. Com 1,56 m de altura e 47 kg, o garoto disputou duas provas. Na plataforma de 10 m sincronizada, em dupla com Blake Aldridge, ficou em oitavo.

Já na disputa individual na mesma altura, o resultado foi ainda mais surpreendente. Terminou em 12º na fase preliminar, depois em oitavo na semifinal, posição que lhe garantiu um lugar na final. Na decisão melhorou seu desempenho e ficou em sétimo.

Os Jogos Olímpicos no celular
wap:
wap.terra.com.br
Iphone, blackberry e N95: www.terra.com.br/jogosolimpicos


Redação Terra