Pequim
 
Brasil
 

Pequim 2008

Domingo, 24 de agosto de 2008, 12h36

Falavigna salva taekwondo e fatura bronze solitário

Falavigna leva 1ª medalha para o País no taekwondo
Falavigna leva 1ª medalha para o País no taekwondo
Reuters

Direto de Pequim

Apenas três participantes brasileiros estiveram no tatame do taekwondo de Pequim. No entanto, dois deles chegaram à capital chinesa com chances reais de voltar ao Brasil com uma medalha na bagagem: Márcio Wenceslau e Natália Falavigna. Mas apenas um atleta conseguiu essa façanha.

Falavigna, da categoria acima de 67 quilos, conquistou um bronze solitário, mas importante para a história do esporte no País. Foi a primeira medalha do taekwondo para o Brasil em uma Olimpíada.

Campeã mundial de 2005, em Madri, prata nos Jogos Pan-Americanos do Rio 2007, quarta colocada em Atenas 2004, Falavigna chegou a Pequim com um bom currículo e não decepcionou. Foi logo vencendo em sua estréia. A vítima foi a grega Kyriaki Kouvari. Depois disso, mais uma vitória, agora sobre a australiana Carmen Marton.

Veio a luta contra a norueguesa Nina Solheim, na semifinal e a primeira derrota na competição. Como conseqüência, o adeus ao ouro olímpico, principal objetivo da brasileira. Restava então a medalha de bronze. E, para conquistá-la, teria que passar pela sueca Karolina Kedzierska. Motivada em busca da primeira medalha do esporte em Olimpíadas, Falavigna aplicou um incontestável 5 a 2, garantindo seu lugar no pódio e escrevendo seu nome na história.

Agora o objetivo é outro: o ouro em Londres 2012. "As coisas melhoraram muito de Atenas para cá. Neste próximo ciclo olímpico, as coisas tendem a melhorar ainda mais. Espero estar em Londres em 2012, vou querer algo mais que o terceiro lugar", afirmou Falavigna.

Na categoria da brasileira, a medalha de ouro foi para a mexicana Maria Del Rosario Espinoza, algoz de Falavigna na decisão dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, no ano passado.

Outro brasileiro que chegou com esperança de medalha foi Márcio Wenceslau. Vice-campeão mundial em 2005 na categoria até 58 kg, o brasileiro estreou com vitória em Pequim. A vítima foi o iraniano Reza Naderian. No entanto, logo na segunda luta, o revés. O atleta se deparou com o espanhol Juan Antonio Ramos e não conseguiu passar pelo adversário. O ouro ficou para o mexicano Guillerme Perez.

Já Débora Nunes, da categoria até 57 kg, teve uma atuação discreta na Olimpíada de Pequim. A brasileira sequer precisou lutar na primeira fase, já que Lailatou Amadou Lele, de Niger, não compareceu à pesagem e foi desclassificada. Nas quartas-de-final e sem derramar uma gota de suor, Débora se deparou com a croata Martina Zubacic e não resisitiu. A sul-coreana Sujeong Lim sagrou-se campeã na categoria.

Os Jogos Olímpicos no celular
wap:
wap.terra.com.br
Iphone, blackberry e N95: www.terra.com.br/jogosolimpicos


Redação Terra