Pequim
 
Brasil
 

Pequim 2008

Segunda, 25 de agosto de 2008, 11h27 Atualizada às 11h51

Pensando em Rio 2016, Lula quer mais investimento em esporte

  • Notícias

Maurren chora no pódio: Lula pede apoio para ver mais brasileiros com o ouro no peito
Maurren chora no pódio: Lula pede apoio para ver mais brasileiros com o ouro no peito
Marcelo Pereira/Terra

Terminada a participação brasileira nos Jogos Olímpicos de Pequim, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu ao empresariado do País um maior investimento no esporte olímpico. Confiante na escolha do Rio de Janeiro como sede dos Jogos de 2016, o mandatário quer ver uma "profissionalização" para subir posições no quadro de medalhas.

"Eu estou convencido de que nós poderemos fazer muito mais se atingirmos a maturidade profissional no tratamento com os nossos atletas. Eu acho que nós precisamos, daqui para a frente, levar mais a sério essa questão do esporte brasileiro, fazer com que as prefeituras, os Estados e os grandes empresários brasileiros possam contribuir, para que a gente possa ter equipes mais competitivas, atletas mais competitivos, que aumente a possibilidade de o Brasil ter uma performance melhor", destacou o presidente, durante seu programa semanal de rádio, Café com o Presidente.

Lula, entretanto, diz que houve avanços durante o ciclo olímpico chinês e vê como positivo o fato de que 10% dos representantes brasileiros em Pequim eram beneficiados com a Bolsa-Atleta do ministério dos Esportes.

"Antes de trazer os Jogos para o Brasil em 2016, é importante lembrar o seguinte: grande parte desses atletas sobrevivia por conta própria. Na Olimpíada passada, alguns quase tiveram que pagar a passagem por conta própria para ir a Atenas. Agora já montamos uma estrutura melhor", completou.

Segundo os planos do mandatário, a idéia é, ao menos, tornar o País competitivo nesse curto espaço de tempo até 2016, como um primeiro passo para obter resultados absolutos e disputar a ponta do quadro de medalhas.

"Não que a gente queira ganhar todas de ouro, mas que possamos ter uma performance melhor, que os atletas tenham tratamento adequado, treinamento adequado, que tenhamos os melhores especialistas lidando com os nossos atletas, para que a gente possa disputar as Olimpíadas em igualdade de condições. Se nós começarmos a fazer isso agora, temos chance de melhorar muito em 2012 e de estar na ponta do casco em 2016", apontou.

Antes, contudo, as atenções estarão voltadas para 2016. Reconhecendo as dificuldades da capital fluminense em ser eleita a cidade-sede dos Jogos, Lula acredita que a Olimpíada tem que ser realizada na América do Sul.

"Nós vamos disputar. Nós estamos disputando com três cidades importantes: Tóquio, Chicago e Madri. O Rio de Janeiro tem possibilidades concretas. A América do Sul nunca teve uma Olimpíada e eu penso que os Jogos têm que vir para a América do Sul. É uma questão importante para nós, brasileiros, e vamos brigar. No ano que vem vão escolher e eu espero que o Rio seja a cidade escolhida", concluiu.

Os Jogos Olímpicos no celular
wap:
wap.terra.com.br
Iphone, blackberry e N95: www.terra.com.br/jogosolimpicos


Redação Terra