0

Presidente do COI lamenta morte de georgiano em treino de luge

12 fev 2010
19h33
atualizado às 22h50

O belga Jacques Rogge, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), disse que a morte do georgiano Nodar Kumaritashvili, durante o treino de luge, é uma "tragédia" que prejudica os Jogos Olímpicos de Inverno de Vancouver, que começaram nesta sexta-feira.

"Nossos primeiros pensamentos são para a família, os amigos e os companheiros do esportista. A família olímpica está consternada por esta tragédia que, logicamente, ofusca estes Jogos", disse Rogge.

John Furlong, presidente do Comitê Organizador dos Jogos (Vanoc, em inglês), também divulgou uma nota. "Estamos profundamente consternados por esta tragédia e o COI envia suas condolências aos familiares, amigos e companheiros deste esportista que veio a Vancouver para buscar seu sonho olímpico".

Para o alemão Josef Fendt, presidente da Federação Internacional de luge, foi um "terrível acidente". "Isto é o mais grave que pode acontecer no esporte. Nossos sentimentos e os de toda a família do luge estão com todas as pessoas diretamente ligadas a este fato", disse.

Entenda o caso

O georgiano Nodar Kumaritashvili, 21 anos, morreu nesta sexta-feira após sofrer um grave acidente no treinamento do luge, no Whistler Sliding Center. O atleta estava em uma velocidade de 144 km/h quando perdeu o controle de seu trenó, bateu contra a parede de gelo e, depois, contra uma haste na pista.

A equipe médica dos Jogos de Vancouver tentou realizar procedimentos de reanimação, como massagem cardíaca e respiração boca a boca, antes de chamar um helicóptero para transferir Kumaritashvili ao hospital. O atleta, que havia iniciado a carreira profissional há dois anos, teve a morte anunciada horas depois pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Trenó fica abandonado após o acidente fatal
Trenó fica abandonado após o acidente fatal
Foto: AP
EFE   
publicidade