1 evento ao vivo

Conselho do Santos investiga saída de Neymar e já teme "história manchada"

6 jun 2013
07h35
atualizado às 07h36
  • separator
  • comentários

Membros do Conselho Deliberativo do Santos já começam a pressionar o comitê gestor nos bastidores para obter explicações pela venda de Neymar ao Barcelona, da Espanha. O temor de parte dos conselheiros é que o clube tenha sido prejudicado nas negociações, principalmente após a revelação dos catalães da existência de um pré-acordo com o jogador, com a anuência santista, desde pouco antes da disputa do Mundial de Clubes, em 2011, no Japão. A reunião do próximo dia 18 promete ser tensa.

<p>Neymar foi liberado pela CBF e seguiu de jato particular para ser apresentado pelo novo clube</p>
Neymar foi liberado pela CBF e seguiu de jato particular para ser apresentado pelo novo clube
Foto: AP

"Caso se confirme (esse acordo do Neymar com o aval do Santos) será o nosso maior escândalo. Nossa história pode estar manchada para sempre", disse Celso Leite, membro influente do Conselho. "A possibilidade dele ter atuado nessa final já sendo jogador deles é o que mais nos causa espécie. O time não respondeu em campo, foi uma espécie de água com açúcar o jogo todo. Se esse caso não for bem explicado a história do Santos estará prejudicada", completou.

A assessoria do Santos já afirmou desconhecer qualquer quantia antecipada pelo Barça ao jogador. O valor informado foi de 10 milhões de euros (cerca de R$ 27 milhões).

O Conselho ainda exigirá esclarecimentos sobre as cifras totais da transação; teme a ameaça de processo do Grupo DIS, detentor de 40% dos direitos econômicos do atacante; além da presença de, pelo menos, quatro funcionários do clube capitaneados pelo gestor da carreira de Neymar, Eduardo Musa, na apresentação do jogador ao Barcelona.

"Estamos nos reunindo e conversando para que, se preciso, uma atitude drástica seja tomada, mas sempre obecendo o estatuto do clube", disse Leite.

José Rubens Marino, outro conselheiro influente, já enviou um ofício ao presidente do órgão, Paulo Schiff. No documento, Marino cobra, principalmente, a colocação com clareza da negociação de Neymar e pede para que Schiff autorize a ida do Comitê Fiscal à Espanha para ser realizada uma espécie de investigação de toda a operação.

O Santos ainda não revelou os valores totais da negociação se apoiando em uma "cláusula de confidencialidade". O clube catalão, entretanto, explicou que foram gastos 57 milhões de euros (aproximadamente R$ 159,1 milhões) para a contratação do atleta, sendo 10 milhões investidos ainda em 2011, como forma de adiantamento.

Veja como foi a apresentação de Neymar no Barcelona

Fonte: K.R.C.DE MELO & CIA. LTDA – ME K.R.C.DE MELO & CIA. LTDA – ME

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade