5 eventos ao vivo

Em seca brasileira, Bola de Ouro da Fifa deve ampliar "reinado Messi"

7 jan 2013
07h24
atualizado às 10h36
  • separator
  • 0
  • comentários

Pelo quinto ano consecutivo, a cerimônia de melhores do ano da Fifa não terá um brasileiro entre os três finalistas. A ser entregue nesta segunda-feira, em Zurique, a Bola de Ouro que ficou com Kaká, em 2007, estará entre um espanhol (Andrés Iniesta), um português (Cristiano Ronaldo) e um argentino (Lionel Messi). Vencedor da premiação nos últimos três anos, Messi, do Barcelona, é o favorito destacado para vencê-lo pela quarta vez e se tornar o único tetracampeão do prêmio na história.

Argentino pode se tornar primeiro tetracampeão do prêmio de melhor jogador do mundo
Argentino pode se tornar primeiro tetracampeão do prêmio de melhor jogador do mundo
Foto: Getty Images

» Saiba tudo sobre a Bola de Ouro e vote no melhor de 2012

Autor de 91 gols no último ano, o atacante do Barcelona quebrou todos os recordes possíveis de artilharia em uma só temporada. Em sua melhor fase, chegou a 50 gols em uma edição do Campeonato Espanhol, recorde histórico. Fez o mesmo com a camisa da seleção argentina e, com 12 gols marcados, igualou a melhor marca, de Gabriel Batistuta. Em 11 de novembro, superou Pelé em gols marcados em um só ano. O recorde absoluto pertencia a Gerd Müller, a quem o argentino também bateu no início do mês passado.

O adversário que mais ameaça o reinado de Messi é Andrés Iniesta, fruto de seu ano mais brilhante e regular que culminou com o título da Espanha na Eurocopa. Longe do instinto goleador do companheiro do Barcelona, ele marcou oito vezes em 2012, mas teve sua temporada reconhecida na cerimônia de melhores da Europa há quatro meses, em prêmio da Uefa. O herói da primeira conquista mundial da Espanha já disputou a Bola de Ouro, em 2010, mas acabou em terceiro.

Com números arrasadores na última edição do Campeonato Espanhol, Cristiano Ronaldo comandou o Real Madrid até a melhor campanha da história da competição: mais pontos, mais vitórias, mais vitórias fora de casa e mais gols marcados. Na sequência, fortaleceu sua candidatura ao bicampeonato do prêmio ao levar Portugal até as semifinais da Eurocopa com participações decisivas. Nos últimos meses, a crise do Real e a manutenção da boa fase de Messi podem ter diminuído as chances do português.

Barcelona e Real Madrid também duelam entre os treinadores, mas o favoritismo estará com outro espanhol. Vicente del Bosque, campeão da Eurocopa com a Espanha, é apontado como o nome mais forte contra Pep Guardiola, ex-Barcelona, e José Mourinho, do Real. O português, por sinal, já avisou que não viaja até Zurique e dará prioridade à equipe que dirige. Bruno Bini, da França, Pia Sundhage, ex-Estados Unidos, e Norio Sasaki, do Japão, concorrem entre os técnicos do futebol feminino.

Neymar é maior esperança brasileira de brilho na festa

Neymar, que desembarca em Zurique no início da tarde desta segunda-feira, é a esperança do Brasil em conseguir brilhar na cerimônia. Ele concorre ao bicampeonato do Prêmio Ferenc Puskas, entregue ao gol mais bonito do ano, pelo que marcou diante do Internacional pela Copa Libertadores. A escolha é realizada por enquete no site da Fifa e, a exemplo de 2011, houve mobilização do jogador por votos via redes sociais. Neymar tem como rivais Falcao García, do Atlético Madrid, e Miroslav Stoch, do Fenerbahce.

Na categoria seleção do ano, escolhida por jogadores profissionais de todo o mundo, Neymar está com quatro defensores brasileiros no grupo de 55 finalistas: Daniel Alves (Barcelona), Thiago Silva (Paris Saint-Germain), David Luiz (Chelsea) e Marcelo (Real Madrid). Como são três vagas no ataque do time ideal, crescem as chances do atacante santista. Ele foi o 10º melhor entre todos os jogadores na edição 2011 da Bola de Ouro e, pela segunda temporada seguida, é o único não-europeu que fica entre os 23 finalistas.

Entre as mulheres, a pentacampeã Marta corre por fora na luta pelo prêmio de melhor do mundo. A brasileira divide a disputa final com Abby Wambach e Alex Morgan, atacantes dos Estados Unidos e medalhas de ouro dos Jogos Olímpicos de Londres. Além dela, o Brasil terá três convidados importantes na festa. Luiz Felipe Scolari, treinador da Seleção, entregará o prêmio de melhores técnicos do ano. Leandro Damião, artilheiro da Olimpíada e atacante do Internacional, receberá homenagem. Ronaldo, melhor do mundo em 1996, 97 e 2002, também vai a Zurique.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade