0

Promessa vive noite de Neymar, salva Muricy e ratifica invencibilidade

21 mar 2013
23h23
atualizado às 23h23
  • separator
  • 0
  • comentários

Muricy Ramalho diz que o Santos precisará se acostumar a não contar com Neymar. No entanto, o técnico não contava com a noite iluminada, justamente, da promessa que vestiu a camisa 11 deixada pelo craque santista, que participou nesta quinta-feira de amistoso com a Seleção Brasileira. Giva, o escolhido, marcou duas vezes, salvou o treinador do aumento da pressão direcionada e, de quebra, ratificou um número atípico, o desempenho superior do Santos sem o seu principal jogador.

Giva jogou no lugar de Neymar, que está na Suíça com a Seleção Brasileira
Giva jogou no lugar de Neymar, que está na Suíça com a Seleção Brasileira
Foto: Ricardo Saibun / Gazeta Press

Foi a quarta partida sem Neymar, com três vitórias e um empate, 83,3% de aproveitamento, contra seis vitórias, dois empates e duas derrotas com o atacante na temporada, 66,6% dos pontos disputados.

Sem o seu astro, entretanto, e com mais quatro problemas, as ausências de Emerson Palmieri e Marcos Assunção, machucados, além de Cícero, suspenso, e Montillo, à serviço da seleção argentina, o time sofreu.

Giva era quem mais tentava, criava as oportunidades, principalmente, em revezamento constante com Miralles, ora aberto pelo lado direito do ataque ou centralizado.

Em seu primeiro gol com a camisa do Santos provou todo o oportunismo que o credenciou como principal artilheiro do Sub-20 no último ano, com média superior a de Neymar no profissional, desviando de cabeça o cruzamento de Felipe Anderson, aos 40min do primeiro tempo.

Para o segundo tempo, o jovem, assim como Santos, evidenciava a sua dificuldade na criação de jogadas, que eram limitadas quase sempre a tentativas pela esquerda do ataque, com Patito Rodriguez. Giva foi quem mais finalizou a gol, cinco vezes, segundo o Footstats.

O novo gol, aos 28min do segundo tempo, em outra jogada individual, serviu para amenizar a pressão sobre o técnico Muricy Ramalho. Pouco antes, o treinador escutava gritos para a entrada de Neílton, outra revelação da Copinha e comparado a Neymar por sua fisionomia.

O resultado dá respaldo ao treinador, que conquista a sua terceira vitória consecutiva e chega ao clássico com o Palmeiras menos pressionado, mas com problemas. A conta de desfalques é grande e será ampliada pelas expulsões de Patito Rodriguez e Felipe Anderson.

Fonte: K.R.C.DE MELO & CIA. LTDA – ME K.R.C.DE MELO & CIA. LTDA – ME
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade