1 evento ao vivo

São Paulo

Ceni "salva" Muricy após patada e dá pista sobre ser técnico

Guilherme Dorini / Terra
1 dez 2014
09h47
  • separator
  • comentários

Os jornalistas passaram por uma situação diferente na sala de imprensa do Morumbi, neste domingo, após o empate por 1 a 1 do São Paulo contra o Figueirense. Em vez de um entrevistado, como é de costume, vieram três: Kaká, Muricy Ramalho e Rogério Ceni. Kaká, que jogou sua última partida no estádio, fez a sua parte e deixou o lugar. Na sequência, o técnico respondia as questões, enquanto o goleiro, atentamente, esperava sua vez. Na última pergunta, o treinador deu uma resposta mais seca, como às vezes lhe é de costume, arrancou risos dos repórteres e, logo em seguida, foi "salvo" pelo capitão são-paulino.

Após quase 20 minutos de entrevista, veio a última pergunta para Muricy, que completou 59 anos neste domingo: “você sabe quais são as posições que vocês precisam contratar?”. Sem pensar muito, o técnico disparou. “Sou técnico, como eu não vou saber?”, respondeu, arrancando risos dos jornalistas. “Claro que eu sei, se eu não souber, o que estou fazendo aqui? Tenho que saber, mas não vou ficar aqui discutindo com vocês (jornalistas), porque não é interessante para nós. Mas eu sei”, disse, finalizando a entrevista.

Na sequência, Rogério Ceni tomou o lugar central na mesa, de frente para o microfone, e, depois de sua primeira resposta, encontrou algo no seu celular e defendeu o treinador.

“Tem uma frase aqui do (técnico ds NBA) Phil Jackson, viu (indicando para Muricy, que ainda estava na sala), de um livro que estou lendo e diz: ‘você nunca será técnico se você tem a necessidade de ser amado. Às vezes você tem que ser um cara antipático e desagradável’. Só para te defender”, falou Ceni, arrancando ainda mais risadas dos jornalistas presentes. “Coincidentemente, hoje eu estava nessa página e anoto sempre umas coisas bacanas. Vi que a frase cabia no momento”, completou.

Sem perder tempo, um jornalista perguntou se ele já estava lendo o livro pensando em virar técnico na hora em que se aposentasse. Entre os risos, Rogério negou, mas deixou uma pista sobre seu futuro profissional.

“Não, não. Esse livro eu leio porque eu gosto, eu não sou bom em leitura. Eu gosto de ler biografias, principalmente de gente que teve sucesso dentro do esporte. Li o livro do Michael Jordan esses dias, e já tinha lido outro do Phil Jackson. Agora estou nesse ‘Onze Anéis’, sobre os títulos dele na NBA. Para o futuro? Pode ser sim, mas hoje meu objetivo como atleta é fazer o melhor que eu posso, me preparar para estar em melhor forma já na volta da pré-temporada”, finalizou.

O novo contrato de Rogério Ceni com o São Paulo vai até o dia 5 de agosto do ano que vem, exatamente quando a Copa Libertadores da América será decidida.

Fonte: Terra
  • separator
  • comentários
publicidade