0

Com noite de gala, novo ataque são-paulino resolve e pressiona Ganso

24 jan 2013
00h29
atualizado às 00h29
  • separator
  • 0
  • comentários

Na véspera de jogo decisivo, Ney Franco chamou a responsabilidade. Mandou PH Ganso para o banco, escalou o recém-contratado Aloísio em uma posição em que ainda não havia utilizado, e deu moral a Jadson. As dúvidas para a estratégia do treinador, entretanto, acabaram rapidamente. Com intensidade, força e muita inspiração contra um frágil Bolívar, o São Paulo atropelou no Morumbi, impôs 5 a 0 no marcador e minimizou ao máximo os riscos para o jogo de volta, na próxima semana, nos 3600 metros de altitude em La Paz.

Com pouco empenho e condição física abaixo dos demais, camisa 8 deve esperar para recuperar sua condição de titular
Com pouco empenho e condição física abaixo dos demais, camisa 8 deve esperar para recuperar sua condição de titular
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Se aumenta o moral de Ney Franco e dos jogadores que foram a campo, em especial os quatro da frente, a exibição de gala põe pressão em Paulo Henrique Ganso. Com pouco empenho em jogos e condição física abaixo dos demais, o reforço mais caro da história do São Paulo deverá esperar um pouco mais para recuperar sua condição de titular. O camisa 8 teve o nome gritado pelas arquibancadas e foi a campo aos 28min da etapa final. Jadson saiu para que ele entrasse de maneira discreta junto de Cañete e Casemiro.

A exemplo do que havia prometido Ney Franco, o São Paulo foi a campo com a energia característica dos últimos meses de 2012. Aloísio foi a aposta para a ponta direita e, acionado para suprir Lucas, deu conta do recado de sobra. Do outro lado, no setor em que atinge o ápice de seu futebol, Osvaldo voltou a ser letal. Já aos 7min, foi lançado por Jadson em velocidade e, com a canhota, mostrou recursos em uma finalização que não deu chances ao goleiro Argüello.

Aloísio, inspirado pela primeira real oportunidade em um grande clube, encontrou espaço pela direita e, lançado em velocidade, deu o segundo gol de presente para Luís Fabiano já aos 21min. O drible rápido e em curto espaço fez a torcida são-paulina se lembrar de Lucas, o antigo dono daquele pedaço do gramado. "Boi bandido", como foi apelidado no Figueirense por sua vitalidade, Aloísio apareceu bem para finalizar na grande área e quase fez. No rebote, Luís Fabiano fez de novo.

A etapa final confirmou o que os primeiros 45 minutos tinham apontado. Primeiro, aos 14min, foi Osvaldo quem desceu pela ponta esquerda e cruzou bonito para Jadson, outro inspiradíssimo, completar para as redes. O mesmo Osvaldo, pouco depois, ainda foi derrubado na área, e Rogério Ceni completou a goleada para o São Paulo.

Sem Eduardo Vargas, que fez sua estreia pelo Grêmio na derrota para a LDU Quito, também na noite desta quarta-feira, o são-paulino encontrou dois motivos importantes para sorrir. O primeiro, claro, com a goleada que credencia a equipe para a fase de grupos da Libertadores. O segundo é ter encontrado uma formação que se aproxime dos melhores momentos de 2012. Nem que, para isso, seja preciso sacrificar Paulo Henrique Ganso, ao menos por enquanto.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade