0

Slalom gigante, o maior desafio de Lindsey Vonn na Olimpíada

23 fev 2010
07h09
atualizado às 07h17

Para a musa Lindsey Vonn, a contusão na perna pode ser a menor entre as suas preocupações para os próximos dias. Depois de ganhar duas medalhas, a atleta americana de esqui alpino tem mais duas oportunidades de ampliar suas conquistas nos Jogos Olímpicos: as provas de slalom gigante na quarta-feira (24) e de slalom, diferenciada por ser mais curta que a primeira, na sexta-feira (26).

Depois de receber o ouro no downhill e o bronze no super G, Vonn tirou a segunda-feira de folga para se recuperar da lesão, que a acompanha desde os treinamentos pré-olímpicos, no começo de fevereiro. Ela manifestou na sua página do Facebook que está se sentindo bem e satisfeita com o desempenho que tem apresentado no esqui.

Vonn nunca conquistou um pódio no slalom gigante em Olimpíadas ou etapas da Copas do Mundo, tradicionalmente a modalidade que mais a desafia. Seu melhor desempenho foi a quarta colocação na etapa de Aspen, na temporada passada. Na prova de Lienz, Aústria, em dezembro passado, ela teve problemas com o trajeto irregular e acabou machucando o pulso após uma queda.

O fato de o slalom gigante ser a modalidade em que Vonn tem maiores dificuldades pode fortalecê-la mentalmente para se superar e conseguir um bom resultado. Esta é a opinião de sua companheira de equipe americana, Julia Mancuso, favorita à conquista do bicampeonato do slalom gigante em Vancouver.

Entenda a prova de slalom do esqui alpino

O slalom tem o percurso mais curto e as voltas mais rápidas do esqui alpino. Assim como no slalom gigante, os competidores descem a montanha duas vezes, em direções diferentes, mas com a mesma inclinação. Os tempos são somados e o atleta mais rápido fica com o ouro.

O número de portas (espécies de obstáculos feitos com hastes e bandeira) costuma ser de 60 a 65 para homens e 50 a 55 para as mulheres. Ocasionalmente, um competidor que perdeu uma porta termina o percurso e consegue um tempo oficial, mas é punido. O atleta também pode ser desclassificado caso o replay mostre que ele não passou corretamente por alguma das portas.

Entenda a prova de slalom gigante do esqui alpino

O slalom gigante é similar ao slalom, mas tem menos curvas e inclinações e um percurso maior. Cada esquiador desce duas vezes a montanha da mesma inclinação, mas com percursos diferentes. Os tempos são somados e o mais rápido é campeão olímpico.

O número de portas (espécies de obstáculos feitos com hastes e bandeira) costuma ser de cerca de 40 para as mulheres e 50 para homens. O slalom gigante costuma ter menos desistências que o slalom, mas os atletas que terminam o percurso sem passar por alguma porta (ou passam, mas de forma inadequada) são punidos e podem ser desclassificados.

Jogos Olímpicos de Inverno no Terra

O Terra transmite ao vivo a competição em 15 canais simultâneos de vídeo. Além disso, os usuários têm a possibilidade de assistir novamente a todo o conteúdo a qualquer momento. Todo o acesso é gratuito.

Uma equipe de 60 profissionais está encarregada de fazer a cobertura direto de Vancouver e dos estúdios do Terra, em São Paulo, no Brasil, com as últimas notícias, fotos, curiosidades, resultados e bastidores da competição.

A equipe conta com a participação do repórter especialista em esportes radicais Formiga - com 20 anos de experiência em modalidades de neve -, e o pentacampeão mundial de skate Sandro Dias, que comenta a competição em seu blog no Terra.

No celular
wap: wap.terra.com.br
Iphone e smartphones: m.terra.com.br/vancouver

Esqui Alpino Supercombinado (F) - Slalom
Fonte: Terra
publicidade