2 eventos ao vivo
ATP

Americano vence após 17 derrotas e diz: "não sabia o número exato"

21 ago 2012
10h28

Durou seis meses e 17 derrotas o pesadelo de Donald Young no circuito da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP). Nesta segunda-feira, o americano bateu o argentino Leonardo Mayer, número 63 do mundo, por 2 sets a 1, com parciais de 4/6, 6/3, 6/2, avançando à segunda rodada do ATP 250 de Winston-Salem e quebrando um jejum de 17 partidas sem vitória.

»Sexo, racismo e tabus; veja mudanças inesquecíveis do tênis

Antes desta segunda, o último êxito de Young como profissional havia ocorrido no fim de fevereiro, quando superou por 7/6 (7-4), 4/6 e 7/6 (8-6) o búlgaro Grigor Dimitrov, pela abertura do ATP 500 de Memphis. Na época, o americano era o 41º colocado do ranking da ATP, mas entrou em longo jejum - com 16 quedas consecutivas em estreias de torneios - que o colocou no atual 80º lugar da lista.

No período de seis meses sem vitória, o americano ganhou nove sets em 17 jogos, mas sempre falhava na hora de concluir o triunfo. O ponto mais baixo de sua série negativa veio em julho, no ATP 250 de Atlanta, onde foi batido pelo compatriota Steve Johnson, na época apenas o número 402 do mundo, por 6/3, 3/6 e 6/3.

"Eu não vencia fazia um tempo, então é bom tirar um peso das minhas costas, me sinto mais leve", afirmou Young, após finalmente quebrar o tabu. "Eu não sabia o número exato, mas eu estava chegando lá. Eu mentiria se dissesse que não sentia a pressão. Eu continuava dizendo: 'tem de ser este jogo'. Cada partida se tornava mais importante porque o US Open está próximo".

O tenista, que conquistou apenas a terceira vitória em 23 partidas disputadas em 2012 na ATP, participa do Aberto dos Estados Unidos a partir da próxima semana. Como chegou às oitavas de final do Grand Slam no ano passado, ele defenderá 180 pontos nesta temporada e, se cair logo na estreia, pode despencar no ranking e deixar o top 120.

No momento, porém, Young só pensa em desfrutar de seu êxito mais recente. "Quando disputei a Olimpíada, todos os colegas diziam: 'você está jogando bem, é só uma questão de tempo para isso acabar, você é um bom jogador para continuar perdendo'", lembrou. "Mas então você vai para outra partida e perde, e continua esperando que isso (vitória) aconteça e não acontece. Se eu fosse outra pessoa, isso possivelmente seria engraçado, mas era comigo, então não era".

Young, 23 anos, atingiu a melhor posição da carreira no ranking (38ª) em fevereiro deste ano, antes de o jejum começar. O jovem, que estreou no circuito profissional em 2004, chegou a liderar o ranking mundial juvenil em 2005, credenciando-se, portanto, como uma das principais promessas dos EUA.

Agora que voltou a vencer, o americano volta à quadra de Winston-Salem nesta terça-feira, a partir das 13h (de Brasília), para enfrentar o espanhol Feliciano López, o número 31 do planeta. O retrospecto aponta duas vitórias para Young em três encontros realizados contra López, sendo o último em 2009.

Donald Young quebrou jejum ao bater Leonardo Mayer na estreia em Winston-Salem
Donald Young quebrou jejum ao bater Leonardo Mayer na estreia em Winston-Salem
Foto: Getty Images
Fonte: Terra
publicidade