11 eventos ao vivo
ATP

Bellucci mira evolução no piso rápido e volta ao top 30 em 2012

11 set 2012
05h00
atualizado às 08h09

O objetivo do brasileiro Thomaz Bellucci em 2012 é terminar a temporada, pelo menos, no 30º lugar do ranking mundial, o que seria um feito inédito na carreira. Para alcançar a meta, o atual 32º colocado na lista da ATP sabe que precisa evoluir nos torneios disputados em quadra rápida.

Bellucci mira top 30
Bellucci mira top 30
Foto: AFP

"No meu melhor ano, terminei em 31º. Espero conseguir bater essa marca. Não é fácil, já que nos torneios de quadra rápida geralmente não tenho resultados tão bons quanto nos de saibro. Melhorando o nível do meu jogo, vou me sentir mais confortável nesse tipo de quadra para evoluir no ranking", disse o tenista.

Bellucci viveu sua melhor temporada em 2010. No mês de julho, ele alcançou o 21º lugar do ranking da ATP, posição superada apenas por Gustavo Kuerten, tricampeão de Roland Garros e ex-número 1 do mundo, entre os tenistas brasileiros. Na última lista do ano, figurou no 31º posto.

Ao fazer um balanço de 2012 até o momento, Bellucci reitera a necessidade de evoluir na quadra rápida. "Preciso ter mais resultados expressivos nesse tipo de piso para melhorar o ranking. É difícil você ganhar posições jogando em uma única superfície", reconhece.

Após um começo de temporada complicado, Bellucci bateu na 80ª posição do ranking mundial em junho de 2012, seu pior resultado desde a metade de 2009. O brasileiro se recuperou a partir de julho, com os títulos do Challenger de Braunschweig e do ATP 250 de Gstaad, intercalados pela semifinal em Stuttgart.

"Foi um ano com pontos bons e ruins por enquanto. Eu não comecei a temporada tão bem, mas acho que consegui recuperar meu nível de jogo ao longo desses últimos meses e pontuei bastante, avançando bem nos torneios", avaliou Bellucci.Depois de uma temporada discreta sob o comando do renomado Larri Passos em 2011, o tenista resolveu apostar no argentino Daniel Orsanic. Elogioso ao falar de seu atual treinador, ele vê uma tendência de evolução ainda maior até o final do ano.

"Tivemos um tempo de adaptação nos primeiros meses, mas agora a gente já está bem sintonizado. Acrescentei ao meu jogo muitas coisas que ele foi falando no decorrer dos treinos. O Orsa é um cara muito aberto, está sempre escutando o jogador e vendo o que o jogador precisa. O trabalho está correndo muito bem e só tem a melhorar", disse.

Ex-top 25 do ranking mundial de duplas, Orsanic, que costumava jogar com o brasileiro Jaime Oncins, vê com bons olhos a participação de Bellucci nos torneios em parceria com a finalidade de melhorar o voleio e a aproximação à rede. Em Gstaad, o tenista alcançou a semifinal ao lado do alemão Michael Kohlmann.

"Eu acabo não entrando na chave de dupla de alguns torneios grandes, mas vou jogar sempre que possivel", disse Bellucci, que endureceu diante dos norte-americanos Mike e Bob Bryan ao lado de André Sá nas Olimpíadas de Londres. "Estivemos perto de vencê-los e isso foi uma surpresa para mim", completou o jogador.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade