0

Brasil sonha com confronto em casa no retorno ao Grupo Mundial

17 set 2012
09h00
atualizado às 09h42

A equipe brasileira da Copa Davis tem poucos dias apenas de comemoração antes de começar a pensar em seu primeiro confronto no retorno ao Grupo Mundial da competição. O sorteio que define os adversários da primeira fase da temporada 2013 será realizado na manhã de quarta-feira e o capitão João Zwetsch torce para cair com um oponente em que os jogos sejam realizados no Brasil.

Após classificação em casa, brasileiros destacam importância de jogar novamente no País
Após classificação em casa, brasileiros destacam importância de jogar novamente no País
Foto: EFE

» Veja fotos e vote na mais bela tenista do US Open
» Veja as 50 melhores fotos do US Open
» Confira o visual das tenistas do US Open

Dos prováveis adversários nacionais, o País joga em casa contra Espanha e República Checa (finalistas desta edição), Croácia e Áustria. Eventuais duelos com Estados Unidos, Argentina e França são nos domínios dos adversários. Caso enfrente a Sérvia, a sede dos duelos é decidida em um sorteio.

"A gente está esperando acima de tudo jogar aqui no Brasil para poder deixar novamente as coisas ao nosso gosto. É importante ter o pé no chão. A gente deu um passo importante e começa uma nova etapa, a luta para tentar se manter no Grupo Mundial e dentro das nossas possibilidades tentar um resultado ou outro mais expressivo", disse o comandante brasileiro. "São adversários muito duros, muito fortes, mas nossa equipe quando joga principalmente no Brasil não é fácil para fazer frente", completou.

O último confronto do Brasil no Grupo Mundial da Copa Davis foi em fevereiro de 2003, quando enfrentou a Suécia fora de casa. A equipe europeia escolheu jogar no piso de carpete e venceu por 3 a 2. Na repescagem daquele ano, o País pegou o Canadá, novamente precisou jogar longe de seus domínios e com quadra rápida. Perdeu outra vez e caiu para o Zonal Americano, divisão que ocupou desde então. Nos últimos seis anos, a equipe chegou aos playoffs da elite, mas foi derrotada por Rússia, Índia, Equador, Croácia, Austria e Suécia.

"Está complicado esse sorteio, mas vamos ver. Acho que quando saiu a Rússia no ano passado, todo mundo achou que a gente ia perder fácil e perdemos por um ponto. Jogando em casa, nossas chances são maiores e fora complica um pouco. Mesmo assim, tenho confiança de fazer um bom confronto. Não é fácil jogar com Argentina e Estados Unidos, vão ser sempre favoritos porque tem uma equipe muito forte, jogadores com ranking melhor. Mas a gente pode surpreender, como foi no ano passado com a Rússia", avaliou Thomaz Bellucci, principal tenista do País.

O retorno do Brasil ao Grupo Mundial da Copa Davis foi selado neste fim de semana, em São José do Rio Preto. Jogando com apoio da torcida, no saibro e contra uma Rússia sem estrelas, o time nacional venceu o confronto por 5 a 0, graças a pontos de Rogério Dutra Silva, Thomaz Bellucci e Marcelo Melo e Bruno Soares.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade