2 eventos ao vivo

Federer busca 8º Wimbledon com Nadal como principal ameaça

23 jun 2013
19h23
atualizado às 21h25

Dez anos após a primeira conquista em Wimbledon, o suíço Roger Federer tentará, a partir desta segunda-feira, escrever seu nome pela oitava vez no troféu de seu torneio favorito, no qual o espanhol Rafael Nadal buscará manter a boa fase após a conquista de Roland Garros.

Federer, de 32 anos, ganhou seu primeiro torneio da temporada em Halle, na Alemanha, na semana passada, mostrando grande vontade de defender o título que conquistou no ano passado.

"Estou feliz de jogar, de estar em forma e com a mesma motivação", declarou antes da sua 15ª participação no All England Club.

O sorteio das chaves não ajudou o suíço, que poderá cruzar com Nadal já nas quartas de final e com o britânico Andy Murray numa hipotética semifinal.

Por sua vez, Nadal volta a disputar o Grand Slam inglês depois de ter sido eliminado na segunda fase pelo tcheco Luka Rosol na edição de 2012.

Em função de uma lesão no joelho esquerdo, Wimbledon foi o último torneio que o espanhol disputou em 2012, quando teve que parar por cerca de sete meses, mas a volta às quadras do ex-número 1 do mundo vem superando todas as expectativas.

'Rafa' venceu sete dos nove torneios que disputou desde que voltou a competir em fevereiro, e foi finalista nos outros dois.

Contudo, Nadal se mostrou preocupado e apreensivo com ter que jogar na grama, superfície mais prejudicial para o joelho e na qual ainda não competiu neste ano.

Se os prognósticos estiverem certos, as quartas de final terão o clássico que marcou a última década do tênis mundial e que decidiu o título de Londres em três anos consecutivos (Federer venceu em 2006 e 2007, Nadal em 2008).

"Vencer um Grand Slam nunca é fácil. Para isso, você tem que derrotar os melhores, mas estou pronto", disse Federer, que disputará seu 55º Grand Slam consecutivo, um a menos que o recorde do sul-africano Wayne Ferreira.

Rogério Dutra, único representante brasileiro em Wimbledon, poderá ser o adversário do suíço na segunda rodada caso derrote o ucraniano Sergiy Stakhovsky na primeira fase.

Já Novak Djokovic, atual número 1 do mundo, se encontra no outro lado da chave e seus principais adversários no caminho até a decisão devem ser o espanhol David Ferrer ou o argentino Juan Martín del Potro na semifinal.

Assim como Nadal, Djokovic não disputou nenhuma partida preparatória sobre grama e se concentrou em descansar desde a eliminação nas semifinais de Roland Garros para o espanhol.

"Não é a primeira vez que me encontro nesta situação. Nas outras vezes, pude chegar longe e até conquistei o título uma vez", disse o campeão de 2011.

O outro grande favorito é Murray, que tentará conquistar Wimbledon pela primeira vez após ganhar a medalha de ouro dos Jogos Olímpicos de Londres em 2012 no mesmo All England Club.

O britânico não participou de Rolland Garros por problemas físicos e pôde descansar para a temporada na grama.

Murray mostrou que está recuperado ao vencer pela terceira vez o torneio de Queen's, onde derrotou com facilidade na final o francês Jo-Wilfred Tsonga, adversário que poderia enfrentar nas quartas de final de Wimbledon.

Se no masculino quatro jogadores lutam pelo título, Serena Williams, em ótima fase, parece não ter rival à altura no feminino.

Após conquistar Rolland Garros no saibro, superfície na qual historicamente tem mais dificuldade, Serena tentará levantar seu sexto troféu do Grand Slam londrino, 17º no total.

A maioria das tenistas que tentarão acabar com o domínio da americana no circuito são do leste europeu.

A russa Maria Sharapova, que derrotou Serena pela última vez em 2004, mesmo ano em que conquistou Wimbledon, a polonesa Agnieszka Radwanska, finalista no ano passado, e a bielorrussa Victoria Azarenka são as maiores ameaças à Serena.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade