1 evento ao vivo

Contra tabu, Bellucci estreia em Nova York e descarta ver chave

28 ago 2012
09h36
Henrique Moretti
Direto de Nova York (EUA)*

Em quatro participações na chave principal do Aberto dos Estados Unidos, um tabu persegue Thomaz Bellucci: ele nunca passou da segunda rodada do torneio. Nesta terça-feira, o brasileiro, número 40 do mundo, inicia uma nova campanha em Nova York, enfrentando a partir das 12h (de Brasília) o espanhol Pablo Andujar, o 37, na Quadra 4 do USTA Billie Jean King National Tennis Center, em Flushing Meadows.

»Sexo, racismo e tabus; veja mudanças inesquecíveis do tênis

Bellucci projeta um "jogo duro", mas admite que em quadras duras, como as do torneio americano, o rival "não é o mesmo jogador que no saibro". Por outro lado, o próprio paulista também não se sente tão cômodo no piso sintético: "ainda me custa atuar, meu objetivo neste ano é aumentar meu nível nesse tipo de quadra".

Isso ajuda a explicar o fato de, em quatro participações na chave principal do Aberto dos EUA, Bellucci nunca ter conseguido superar a segunda rodada, na qual parou em 2008 (derrota para o argentino Juan Martín del Potro), 2009 (para o francês Gilles Simon) e 2010 (para o sul-africano Kevin Anderson).

Bellucci enfrentou Andujar três vezes no circuito profissional, sempre com vitórias em quadras de saibro: na primeira rodada do Masters 1000 de Madri, em 2011, na segunda rodada de Roland Garros, em 2010, e na primeira rodada do qualificatório do ATP 250 de Buenos Aires, em 2008.

Caso obtenha mais um êxito, o brasileiro encarará na segunda fase outro tenista ranqueado fora do grupo dos 30 melhores do mundo: o espanhol Feliciano López, o 31, que bateu, nesta segunda-feira, o holandês Robin Haase, 48 do planeta, por 6/3, 7/5 e 6/2. Porém, não estava pensando nisso no último domingo, quando contou que nem sequer havia visto o possível emparceiramento dos confrontos.

"Para falar a verdade nunca vejo a chave, sempre vejo jogo por jogo", disse, em entrevista aos jornalistas brasileiros concedida em um hotel em Manhattan, para divulgar a exibição que fará com o suíço Roger Federer em 6 de dezembro, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

Se assim é, Bellucci também não sabe que pode enfrentar o britânico Andy Murray, quarto colocado na lista da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), na terceira fase nos EUA. Mas isso ainda está muito longe. Após viver um primeiro semestre no qual "estava um pouco sem confiança" e cair para o 80º lugar do ranking em junho passado, o brasileiro se recuperou no mês seguinte, quando conquistou, no saibro, o ATP 250 de Gstaad e o Challenger de Braunschweig, e diz chegar "confiante¿ para tentar superar um tabu em Nova York.

"Nunca consegui passar da segunda rodada, então chegar na terceira ou na quarta seria um bom resultado, mas tenho que ver jogo por jogo. Estou jogando bem e não posso deixar a ansiedade me prejudicar dentro de quadra, tenho que ver qual o primeiro adversário e pronto", afirma. No caso, ele se chama Pablo Andujar.

* O repórter viajou a convite da Gillette

Bellucci acredita que pode alcançar terceira rodada do torneio pela primeira vez
Bellucci acredita que pode alcançar terceira rodada do torneio pela primeira vez
Foto: AFP
Fonte: Terra
publicidade