inclusão de arquivo javascript

Guga

 
 

Lesão no quadril abrevia carreira de ídolo nacional

25 de maio de 2008 12h45 atualizado em 26 de maio de 2008 às 00h18

Depois de duas cirurgias no local, Guga se aposenta aos 31 anos. Foto: Getty Images

Depois de duas cirurgias no local, Guga se aposenta aos 31 anos
Foto: Getty Images

Desde 2002, o brasileiro Gustavo Kuerten luta insistentemente contra um problema crônico nos quadris, responsável por abreviar sua permanência entre os melhores do mundo e por frustrar uma torcida que há muito não colocava partidas de tênis em sua programação esportiva. No entanto, o catarinense perdeu a batalha para a lesão, que não é "privilégio" dos profissionais e pode acometer qualquer esportista de fim de semana.

Veja também:
» Fotos da última partida
» ESPN 360: assista ao vídeo
» Guga perde na estréia e
dá adeus em Roland Garros

» Ovacionado, Guga recebe
troféu e discursa em francês

» Mande mensagem para Guga

Especiais:
» Mais de 100 fotos de Guga
» Os feitos da estrela
» Brasil busca novo líder
» O futuro fora das quadras

Causada pela intensa atividade, a síndrome do impacto nos quadris se transformou em uma doença comum nas últimas gerações, com o culto ao corpo e ao físico. A sobrecarga na região causa o desgaste excessivo da cartilagem, levando ao desenvolvimento de uma artrose precoce. Treinos exagerados de corrida, tênis e handebol são as principais atividades que aumentam os riscos de contusão.

Para Guga, as dores intensas e a limitação de movimentos começaram ainda em 2001 - um dos anos mais vitoriosos da carreira. Depois de dez meses tentando superar o incômodo, o catarinense passou pela primeira cirurgia em fevereiro de 2002, nos Estados Unidos, e não conseguiu voltar à melhor forma em seguida: caiu da vice-liderança para a 37ª posição do ranking da ATP, no final do ano.

De acordo com especialistas, atletas já com uma lesão avançada da articulação dificilmente recuperam o desempenho máximo em quadra. E para o ídolo brasileiro foi verdade. Após a operação, Guga conquistou apenas quatro dos 20 títulos da carreira, todos de menos expressão - Aberto do Brasil, em 2002 e 2004, além do Torneio de Auckland e São Petersburgo, em 2003.

Com o espírito guerreiro e o incentivo de jovens tenistas, que começaram no esporte vendo o ídolo ganhar títulos, o tricampeão de Roland Garros passou por outra cirurgia em setembro de 2004. De volta aos torneios apenas em abril do ano seguinte, Guga jogou apenas 16 partidas na temporada, tentando se focar na reabilitação para 2006 - o que não se concretizou.

Embora não tenha sido tão decisivo como na carreira de Guga, o mesmo aconteceu com um dos rivais do brasileiro, o sueco Magnus Norman. Também com problemas nos quadris, ele passou por uma cirurgia em 2001 e depois indicou o médico que realizou a intervenção, Thomas Byrd, para o brasileiro. O ex-número dois do ranking anunciou a aposentadoria em 2004.

Atualmente quem sofre com as dores no quadril é o australiano Lleyton Hewitt. O ex-campeão do Aberto dos Estados Unidos e de Wimbledon participou de Roland Garros, mesmo sabendo que o problema poderia se agravar. Líder do ranking em 2003, o tenista já cogita fazer uma cirurgia em breve, se a contusão persistir.

Redação Terra