0

Wawrinka desbanca Djokovic e conquista Roland Garros pela 1ª vez

7 jun 2015
13h50
atualizado às 14h02
  • separator
  • comentários

O suíço Stanislas Wawrinka desbancou o tenista número 1 do mundo, o sérvio Novak Djokovic, e sagrou-se campeão pela primeira vez de Roland Garros, na manhã deste domingo, em Paris. Considerado um francoatirador no Grand Slam francês, ‘Stanimal’, nono colocado no ranking mundial, venceu o principal favorito ao título por 3 sets a 1, com parciais de 4/6, 6/4, 6/3 e 6/4, após 3h12 de confronto na quadra central Philippe Chatrier, preenchida com quase 15 mil pessoas.

Com a surpreendente vitória, Wawrinka conquista seu segundo título de Grand Slam na carreira, uma vez que já havia vencido o Aberto da Austrália em 2014. Esta também é a quinta vez em que sai vencedor de um torneio disputado no piso de saibro e o décimo troféu levantado em campeonatos da série ATP.

O tenista número 2 da Suíça recebeu a taça das mãos do tricampeão em Roland Garros, o brasileiro Gustavo Kuerten, que foi homenageado com um vídeo de seus melhores momentos nas quadras de Paris, lembrando as conquistas de 1997, 2000 e 2001.

Além de ter encerrado uma série de 23 triunfos consecutivos de Nole na temporada e 16 na terra batida, Stanislas Wawrinka obteve a quarta vitória em 21 confrontos diante do sérvio, a segunda em torneios do Grand Slam. Foi apenas o terceiro revés do sérvio em 2015, ano em que já disputou 44 duelos.

Pior para Novak Djokovic, que segue sem levantar o troféu no sagrado saibro parisiense, sendo este o único título de Grand Slam que lhe falta em seu currículo. O sérvio já havia perdido as finais de 2012 e 2014, quando foi derrotado pelo espanhol Rafael Nadal.

O jogo -

1º set -

A decisão começou equilibrada, com ambos os tenistas confirmando seus serviços iniciais, embora Djokovic tenha desperdiçado três break points. Sólido como é de praxe, o sérvio foi preciso e não deu chances de quebra para Wawrinka, que fazia boa partida até então.

No sétimo game, porém, o suíço sofreu um apagão, não marcou um ponto sequer, e viu Nole rechaçar seu saque pela primeira vez no jogo (4/3). Na sequência, o sérvio teve dois set points, mas Wawrinka os salvou com uma bela passada e com uma pancada no corpo do adversário.

Após salvar o primeiro break point que teve contra na partida, o número 1 do mundo voltou a jogar bem e, com um erro não forçado do adversário, fechou a primeira parcial em 6/4 após 43 minutos.

2º set -

Wawrinka, então, passou a comandar as ações e complicou o melhor tenista do mundo. Djokovic chegou ao segundo set com apenas sete erros não forçados, número que triplicou após a segunda parcial. O suíço foi mais agressivo, subiu bem à rede e encurralou o sérvio no fundo de quadra.

O tenista de Lausanne disparou dez bolas vencedoras a mais que o adversário (16 a 6), venceu 15 pontos enquanto recebia o saque e, após quatro chances de quebra desperdiçadas, rechaçou o serviço de Djokovic no décimo game, empatando a final com novo 6/4.

3º set -

Stanislas Wawrinka manteve o ritmo forte para seguir atacando Djokovic. Logo no segundo game, o suíço teve três break points, todos salvos pelo sérvio. No entanto, a quebra não demoraria a vir.

No sexto game, Wawrinka abusou dos ótimos e típicos golpes de backhand para quebrar o serviço de Nole e abrir 4/2. Na sequência, o suíço continuou inabalável em seus saques e virou o confronto com um 6/3.

4º set -

Djokovic aproveitou o relaxo de Wawrinka no início do quarto set e, com uma quebra logo no segundo game, abriu 3/0 em poucos minutos. Só que o suíço acordou, voltou a ser agressivo, e entrou de novo no jogo.

Wawrinka encaixou bons golpes com seu backhand e, enquanto recebia o saque de Nole, rebateu a maioria das bolas disparadas pelo sérvio, empatando a parcial em 3/3.

No momento decisivo do set, ‘Stanimal’ mostrou estar com o aspecto mental mais sólido do que em um passado não tão distante. Continuou atacando o saque de Djokovic com o backhand e, após duas chances de quebra, rechaçou o serviço do melhor do mundo no nono game para abrir 5/4 e sacar para o título.

Em um dramático décimo game, em que já havia desperdiçado um match-point, Wawrinka manteve-se calmo e com um belíssimo backhand de esquerda disparou o ponto do título de Roland Garros.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • comentários
publicidade