11 eventos ao vivo

Tri olímpico diz que georgiano teria morrido mesmo a 60 km/h

14 fev 2010
09h50
atualizado às 10h11

A morte de Nodar Kumaritashvili provocou mudanças feitas apenas para agradar à opinião pública na pista de luge do Whistler Sliding Center. Foi com essa declaração que o tricampeão olímpico da modalidade, o alemão Georg Hackl, atacou os organizadores da Olimpíada de Inverno de Vancouver, ressaltando ainda que o georgiano teria morrido mesmo se estivesse a 60 km/h, cerca de 80 km/h a menos na comparação com a velocidade que seu trenó atingiu no momento do acidente.

Respaldado pela experiência de quem ganhou três títulos olímpicos e outros três mundiais na categoria individual do luge, o aposentado Hackl, 43 anos, deu uma opinião polêmica sobre o caso à imprensa de seu país.

Segundo ele, são desnecessárias as decisões tomadas pelo Comitê Organizador dos Jogos e pela FIL (federação internacional da modalidade), que baixaram o ponto da largada da prova masculina e aumentaram o muro nos setores das curvas 15 e 16, local da tragédia.

Crítico, o ex-atleta disse que Kumaritashvili teria morrido no treino da última sexta-feira ainda que estivesse a 60 km/h porque na verdade cometeu um pequeno erro de pilotagem. Assim, de nada adiantariam as alterações, que passaram a limitar a velocidade máxima a 140 km/h e que para o alemão foram tomadas apenas como uma resposta a quem não entende nada do esporte.

Por fim, Hackl ainda confirmou que acidentes são muito comuns no luge, reunindo até os melhores do mundo. Agora, só resta aos pilotos sacudir a neve e seguir adiante, conforme o raciocínio do alemão.

Entenda o caso

O georgiano Nodar Kumaritashvili, 21 anos, morreu nesta sexta-feira após sofrer um grave acidente no treinamento do luge, no Whistler Sliding Center. O atleta estava em uma velocidade de 144 km/h quando perdeu o controle de seu trenó, bateu contra a parede de gelo e, depois, contra uma haste na pista.

A equipe médica dos Jogos de Vancouver tentou realizar procedimentos de reanimação, como massagem cardíaca e respiração boca a boca, antes de chamar um helicóptero para transferir Kumaritashvili ao hospital. O atleta, que havia iniciado a carreira profissional há dois anos, teve a morte anunciada horas depois pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Veja acidente que matou atleta do luge nos Jogos
Fonte: Terra
publicidade