publicidade
21 de maio de 2012 • 14h20 • atualizado às 15h19

Contra o Corinthians, Vasco deve repetir escalação do primeiro jogo

Para o jogo de volta das quartas de final, Cristóvão deve manter o time que empatou por 0 a 0 em São Januário
Foto: Cleber Mendes / Agência Lance
 

O técnico Cristóvão Borges quer repetir contra o Corinthians a equipe que enfrentou o clube paulista no primeiro jogo das quartas de final da Copa Libertadores da América, disputado em São Januário e que acabou empatado sem gols. O time carioca vem de vitória sobre o Grêmio, na estreia do Campeonato Brasileiro, quando o treinador utilizou alguns titulares, poupando a maioria para a partida pelo torneio sul-americano.

» Veja opções de jogadores para o seu time repatriar no Brasileiro

Juninho Pernambucano e Alecsandro, que entraram no segundo tempo e foram decisivos para o resultado contra o time do Olímpico, acreditam que serão escalados desde o início no confronto do Pacaembu. O treinador disse que a equipe será definida apenas na hora do jogo, mas são grandes as possibilidades de manter a equipe que atuou em São Januário.

Na verdade, só existe uma dúvida, em relação ao meia Felipe que poderia ocupar uma posição no meio campo. A entrada do experiente jogador causaria a saída de Nilton, que atuou como segundo volante no primeiro jogo, mas a possibilidade é remota.

Caso Felipe entre, Juninho Pernambucano será o sacrificado, porque Cristóvão considera um risco escalar dois jogadores veteranos numa partida de tanta importância como a de quarta-feira. Outra alternativa que tornaria o time menos ofensivo seria a saída de Alecsandro, com Diego Souza sendo colocado mais à frente para formar dupla com Eder Luís.

Allan garante que fica até o final da Libertadores

O volante Allan, que está sendo improvisado na lateral direita quando Cristóvão Borges decide poupar os titulares, disse que ficou sensibilizado com a atitude dos torcedores que compareceram ao jogo diante do Grêmio, domingo em São Januário.

A torcida pediu que ele continuasse no Vasco, e Allan garantiu que permanecesse até o final da participação do clube na Libertadores. Allan teve seus direitos negociados com a Udinese da Itália que vai pagar cerca de 3 milhões de euros (cerca de R$ 7 milhões) pela multa rescisória. O Vasco tem 20% de seus direitos econômicos, enquanto um grupo de empresários uruguaios detém 80%.

Em relação à permanência do atacante Eder Luís, emprestado pelo Benfica, a negociação segue complicada. De acordo com informações publicadas neste sábado pelo jornal luso Record, o clube português teria recusado a proposta dos cariocas para aquisição do atacante.

Segundo o noticiário, o Vasco teria oferecido 3 milhões de euros (cerca de R$ 7 milhões) por Eder Luís, mas o Benfica teria pedido mais 4 milhões de euros para liberar o jogador, considerado imprescindível pelo técnico Cristóvão Borges. A situação do volante Felipe Bastos, também emprestado pelo Benfica, parece ser mais fácil de ser resolvida porque o clube português estaria propenso a renovar o empréstimo do jogador.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva