0

Carlos Sérgio Falcão renuncia ao cargo de presidente do Vitória

23 mar 2015
22h12
atualizado em 24/3/2015 às 14h54

Na noite desta segunda-feira, Carlos Sérgio Falcão renunciou ao cargo de presidente do Vitória. O mandatário entregou o posto um dia após a frustrante eliminação para o Colo Colo de Ilhéus, no mata-mata do Campeonato Baiano, em pleno Barradão. Também se desligou da atual administração rubro-negra o vice Epifânio Carneiro Filho. A decisão foi sacramentada em reunião do Conselho Deliberativo, acompanhada externamente por cerca de 150 torcedores leoninos, insatisfeitos com o desempenho do clube.

Com a renúncia, Silvonei Sales, então presidente em exercício do Conselho Deliberativo, assume o posto mais alto da hierarquia leonina. O pleito para definir o novo mandatário está agendado para o dia 31 de março, mas não deve interferir diretamente no trabalho de Claudinei Oliveira - técnico que assumiu a equipe recentemente, após deixar o Atlético-PR.

Carlos Sérgio Falcão foi eleito presidente do Vitória em 2013, por aclamação. Ele é conselheiro do clube há 25 anos e também acumulou o cargo de vice-presidente administrativo e financeiro rubro-negro. Porém, deixa a formação de Salvador sem ter conquistado um título sequer - e ainda amargou um rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro. Seu mandato se encerraria na próxima temporada.

Embora seu período tenha sido marcado pela ausência de títulos, o Leão da Barra tratou de exaltar o trabalho realizado pelo ex-mandatário. Em nota exposta no site oficial rubro-negro, o mandato de Falcão é exaltado por ter implantado "modernos conceitos de governança" - fazendo com que os baianos recebessem o título de segundo clube mais transparente do país, em 2013.

Confira a carta de renúncia de Carlos Sérgio Falcão na íntegra:

"Prezados Conselheiros,

Como é do seu conhecimento, entreguei hoje ao presidente em exercício do Conselho Deliberativo, Silvoney Sales, uma carta renunciando ao cargo de presidente do Esporte Clube Vitória. Essa decisão foi amadurecida e tomada com serenidade, sem magoas nem vaidade, pensando apenas no que seria melhor para o Vitória.

Nesses últimos meses, apesar de todo nosso esforço, ética, comprometimento e trabalho, os resultados em campo não aconteceram. Isso é fato. Mudamos gestores, treinadores, comissão técnica, jogadores e infelizmente os resultados negativos persistiram. Assim, com tristeza por esses maus resultados, mas com a consciência tranquila, tomei essa decisão. É o momento de mudar o comando, a começar pelo seu presidente.

os últimos oito anos, movido pela paixão, dediquei-me integralmente ao nosso clube, de forma gratuita, sem nenhum outro interesse senão vê-lo crescer e se impor no cenário nacional. Tenho a convicção que participei ativamente para o seu saneamento moral e financeiro e que se hoje somos reconhecidos como uma das mais estruturadas organizações de futebol do pais, foi porque trabalhamos muito para essa conquista.

Sei que os resultados virão. Estamos estruturados para isso. Ainda esse ano, inauguraremos três novos campos e cinco quadras, pois os recursos do convênio já estão depositados em nossa conta. Breve iniciaremos investimentos extras na nossa divisão de base, nesse caso também os recursos oriundos do projeto aprovado no Ministério do Esporte já estão depositados em conta vinculada. Nos próximos dias a nossa diretoria de marketing anunciará novos patrocinadores, e já iniciamos as negociações para renovarmos o contrato de patrocínio master da Caixa. Nos preparamos para a Lei de Responsabilidade Fiscal, e para as novas exigências do futebol brasileiro. Também está praticamente negociada com a Prefeitura de Salvador a doação de uma área para aumentar a estrutura do nosso Complexo. Com alguns ajustes, poderemos vencer a Copa do Nordeste e comemorar no final do ano nosso retorno à Série A.

Entendo essa decisão como um gesto de amor e altruísmo, e para que tenhamos uma transição de poder tranquila, estarei à disposição do meu sucessor, para ajudá-lo no que for necessário. Peço-lhe apenas que não permita que nada prejudique a nossa união e que esteja atento, para que os conhecidos aventureiros de plantão, não se aproveitem desse momento para implantar no nosso Clube, antigos vícios que foram, felizmente extirpados.

Deixo a presidência, mas como conselheiro nato, estarei sempre vigilante e pronto para lutar pelo nosso Esporte Clube Vitoria.

Nesse momento agradeço o apoio da ampla maioria do nosso Conselho cuja presença nas horas mais difíceis nunca me faltou.

Saudações rubro-negras

Carlos Sérgio Falcão"

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade