0

Ney Franco afasta clima de revanche para enfrentar São Paulo

4 out 2013
16h15
atualizado às 16h16
  • separator
  • 0
  • comentários

A demissão de Ney Franco do São Paulo ainda é motivo de assunto, mesmo que tenha acontecido em julho. O treinador entrou em atrito com alguns jogadores, como Rogério Ceni, um dos líderes do elenco, e foi apontado como o principal culpado pela eliminação na Copa Libertadores.

<p>Demitido do São Paulo em julho, Ney Franco tem levado o Vitória a boa campanha no Brasileiro</p>
Demitido do São Paulo em julho, Ney Franco tem levado o Vitória a boa campanha no Brasileiro
Foto: Bruno Santos / Terra

Hoje, na véspera do primeiro reencontro do técnico com o antigo time, o assunto voltou à tona. Principalmente porque a equipe paulista está na zona de rebaixamento, e o Vitória, nova equipe do treinador, luta por uma vaga na Copa Libertadores. Porém, Ney Franco preferiu desconversar e disse que não voltará ao Morumbi com espírito revanchista.

"A preparação para esse jogo contra o São Paulo foi a mesma que fizemos para outros jogos fora de casa, como Internacional, Vasco e Atlético-PR. Eu não tenho motivo nenhum para ir para esse jogo com sentimento de revanche ou vingança. Não guardo rancor de nada. Até porque tenho amigos no clube, na parte diretiva, entre funcionários e jogadores também. Encaro como mais um jogo do Brasileiro", declarou o técnico da equipe baiana.

Em entrevista coletiva que concedeu à imprensa no centro de treinamentos do Vitória, nesta sexta, o técnico Ney Franco também avaliou a sua passagem pelo São Paulo. Para ele, a passagem de pouco mais de um ano pelo clube paulista foi boa, e a sua saída ocorreu por conta de um desgaste natural, que acontece com frequência nos bastidores.

Zagueiro responde Muricy sobre "falta de homens" no São Paulo

"A minha história, embora a avaliação de muitos seja diferente, é que minha passagem pelo São Paulo foi vitoriosa. Fomos a melhor equipe do segundo turno do Brasileiro do ano passado, ganhamos a Sul-Americana. Participei disso ativamente, junto com os jogadores. Nessa temporada, por vários motivos, não fomos bem na Libertadores. Tenho minha parcela de culpa, mas tem outros com parcelas também. Não tenho mágoa com o clube ou com a torcida. Ocorreu um desgaste natural. No São Paulo esse desgaste foi exposto, principalmente depois da minha saída, mas estou tranquilo", ponderou o treinador.

O momento atual das duas equipes é bem distinto. Enquanto o Vitória vem de sete partidas de invencibilidade, com duas vitórias consecutivas e tem o segundo melhor aproveitamento do segundo turno, com 14 pontos, logo atrás do líder Cruzeiro, o São Paulo tem 9 pontos no returno, conquistados nos três primeiros jogos sob o comando de Muricy Ramalho. Nas últimas três partidas, porém, o tricolor paulista acumula três derrotas, incluindo um 3 a 0 para o Santos na última rodada. Ney Franco, porém, avalia a fase são-paulina com cautela, e prefere focar nos objetivos da sua equipe.

"Sei a forma como o São Paulo joga. Sei os pontos fortes, os pontos fracos que têm de ser explorados. O São Paulo não está tendo um grande aproveitamento em casa neste campeonato, mas é sempre difícil jogar no Morumbi. Mas traçamos uma meta para sermos o melhor time do segundo turno do campeonato. Se conseguirmos, certamente iremos nos classificar para a Libertadores", projeta o treinador.

Fonte: Paço Virtual - Comunicação, Consultoria e Projetos LTDA - ME - Especial para o Terra Paço Virtual - Comunicação, Consultoria e Projetos LTDA - ME - Especial para o Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade