0

Brasil perde dois match points e sofre virada histórica da Rússia

12 ago 2012
11h22
atualizado às 11h55
Celso Paiva
Leandro Miranda
Direto de Londres

A Rússia conseguiu o que parecia impossível neste domingo. Depois de permanecer dois sets em desvantagem e salvar dois match points, a equipe europeia venceu a Seleção Brasileira, de virada, por 3 sets a 2, parciais de 19/25, 20/25, 29/27, 25/22 e 15/9, e conquistou pela quarta vez a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos - o país herdou os três títulos (1964, 1968 e 1980) da União Soviética -, obtendo uma das recuperações mais incríveis da história do evento.

» Veja as mais belas atletas, torcedoras e cheerleaders de Londres 2012
» Vote na maior decepção brasileira nos Jogos
» Escolha o esporte e assista aos vídeos da Olimpíada
» Saiba tudo sobre os medalhistas do Brasil
» Veja a agenda e resultados dos Jogos de Londres

Na decisão olímpica pela terceira vez consecutiva, algo inédito no vôlei masculino, a Seleção Brasileira dominou praticamente os três sets iniciais. Depois de abrir 2 a 0 e 20 a 17 na terceira parcial, a equipe nacional sofreu um enorme apagão, especialmente por conta de uma mudança tática da equipe adversária. O gigante Dmitriy Muserskiy, de 2,18 m, deixou o meio de rede para atuar como oposto. Na nova posição, o camisa 13 assumiu a responsabilidade no ataque e modificou totalmente o panorama da decisão, revertendo de maneira histórica o placar em Londres.

O volume de jogo apresentado diante da Itália, quando o Brasil realizou um dos melhores sets das últimas décadas, como classificou Bernardinho, entrou em quadra também na final olímpica. Diante dos russos, o time apresentou um grande volume de jogo e anulou o adversário. Com saques encaixados e contra-ataques eficientes, muitos deles pelo meio-fundo com Murilo, rapidamente os brasileiros adquiriram a confortável vantagem de 16 a 9.

Tranquilo em quadra e sem permitir qualquer respiro dos russos, o Brasil manteve o forte saque e a velocidade para conquistar uma sossegada vitória no primeiro set. Utilizando uma das jogadas mais repetidas durante o encontro, Bruninho imprimiu velocidade na ponta para Wallace, um dos destaques da campanha, virar na quadra rival e confirmar a vitória por 25 a 19. Um set a zero; e um set a menos para o tricampeonato olímpico.

A grande atuação do Brasil e no saque seguiu incomodando os russos durante a segunda parcial. Antes da primeira parada técnica, o time de Bernardinho já abriu quatro pontos de vantagem, diferença confortável que permaneceu durante a maior parte do set. A Rússia, atônita com o ritmo agressivo brasileiro, trocou os saques potentes pelos flutuantes e obteve seu melhor momento na partida, diminuindo o marcador para 16 a 15.

A queda momentânea preocupou Bernardinho. Ao parar o jogo, o treinador quebrou a reação russa e guiou o time para mais uma tranquila vitória. Imprimindo velocidade e variando o jogo (consequência da grande atuação de Bruninho), o Brasil fechou a parcial por 25 a 20 e se aproximou ainda mais da conquista em Londres.

Dependendo da vitória no terceiro set para sobreviver na disputa pelo ouro, a Rússia ousou na última parcial. O gigante Dmitriy Muserskiy, de 2,18 m, deixou o meio de rede para atuar de oposto. A alteração ousada melhorou os russos, que apostaram na força física do camisa 13 para minar o ritmo superior da Seleção Brasileira na partida.

A presença do alto jogador pelas pontas fez a diferença no terceiro set. Com todas as bolas apertadas indo na direção de Muserskiy, a Rússia conseguiu equilibrar o duelo até a parte final, e impedir uma vitória tranquila brasileira por 3 sets a 0. No final, com uma atuação soberba do camisa 13, a equipe europeia cravou 29 a 27 e forçou a realização do quarto set.

A derrota na parcial não foi o único problema encontrado pelo Brasil para o restante do duelo. Dante, fundamental na abertura da vantagem, sentiu o joelho e não retornou à quadra. Bernardinho recorreu ao experiente Giba, um dos símbolos da geração que deve ter se despedido da Seleção Brasileira justamente neste domingo, em Londres.

Contudo, a confiança adquirida pelos russos complicou totalmente a situação da Seleção Brasileira no jogo. Atuando solta e forçando o saque, a equipe europeia abateu o time de Bernardinho, que buscou até três centrais para responder ao treinador adversário. No entanto, seguros, os russos fecharam por 25 a 22 e igualaram o marcador, levando o confronto para um tiebreak, até então, inesperado.

A reação russa modificou totalmente o psicológico das duas equipes. A Rússia, comandada por Muserskiy, dominou totalmente o confronto. O bloqueio altíssimo parou os contra-ataques brasileiros. O saque forte entrou. A vitória, tão próxima do time de Bernardinho, mudou de mãos. Com a bola na mão, o camisa 13 cravou seu 31ª ponto no jogo e confirmou uma inimaginável vitória até então. Histórico título russo em Londres.

Russos reverteram uma desvantagem de 2 a 0 e conquistaram o ouro de maneira histórica
Russos reverteram uma desvantagem de 2 a 0 e conquistaram o ouro de maneira histórica
Foto: Getty Images
Fonte: Terra
publicidade