0

Em grande fase, Sollys/Osasco busca título mundial inédito no Catar

10 out 2012
13h33
atualizado em 15/10/2012 às 14h56
Vinícius Paleari
Direto de São Paulo

Após conquistar o Campeonato Sul-Americano de Clubes de maneira invicta - três jogos e três vitórias -, o Sollys/Osasco está com as malas prontas para embarcar rumo a Doha, no Catar, onde disputa o Campeonato Mundial de Clubes. As atuais campeãs da Superliga viajam na madrugada desta quinta-feira, às 2h55 (de Brasília) e têm em mente apenas um objetivo: o título inédito da competição.

Terceiro colocado na edição de 2011, quando venceu o Mirado, da República Dominicana na disputa pelo bronze, e vice-campeão em 2010, perdendo para o Fenerbahce, então comandando por José Roberto Guimarães, o Sollys/Osasco poderá se tornar a terceira equipe brasileira a vencer um Mundial de Clubes - o Sadia/São Paulo foi campeão em 1991, enquanto o Leite Moça/Sorocaba subiu ao lugar mais alto do pódio em 1994.

Já classificada para as semifinais do Campeonato Paulista - nesta terça-feira venceu o Sesi/SP por 3 sets a 0 e terminou a primeira fase invicta -, a equipe do técnico Luizomar de Moura faz uma pausa na competição estadual e aproveita a excelente fase técnica de suas jogadoras, entre elas as campeãs olímpicas Jaqueline, Thaísa, Adenízia, Fê Garay e Sheilla, para buscar o melhor resultado da história.

"A nossa equipe está muito modificada (em relação àquela que disputou em 2011), mas o grupo está muito forte e focado em busca desse título inédito para o clube", comentou a ponteira Jaqueline, que ficou fora da edição passada por estar com a Seleção Brasileira. "Uma confia na outra e não tenho dúvidas que vamos conquistar o melhor resultado no Mundial", disse.

Em 2011, o time disputou a competição desfalcado por conta da participação de algumas atletas nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México, e mesmo assim chegou ao pódio. Naquela ocasião, teve destaques e um deles foi Adenízia. Eleita a melhor bloqueadora do Mundial, a central garantiu que prêmios individuais estão em segundo plano.

"Não penso novamente em ser eleita a melhor em algum fundamento. Isso é o de menos", afirmou a campeã olímpica. "O que está em jogo é a medalha de ouro, que nunca conquistamos na competição, portanto vai ser um grande desafio", completou.

Primeira fase

Os adversários da primeira fase serão o Rabita Baku, do Azerbaijão, que recentemente contratou a alemã Angelina Grun; e Bohai Bank, da China. Na outra chave estarão o Fenerbahce, da Turquia - das ponteiras Mari e Paula Pequeno; o Kenya Prisons, do Quênia; e o Lancheras, de Porto Rico.

Para a oposta Ivna, que foi titular e a terceira maior pontuadora na edição de 2011, não ter informações precisas sobre as equipes pode ser o grande desafio do time. "Talvez algumas meninas tenham certas informações sobre determinadas jogadoras, mas só quando a competição começar que vamos poder tirar melhores conclusões. A gente vai ter que batalhar bastante", afirmou.

O Mundial de Clubes acontece entre 13 e 19 de outubro e a estreia do Sollys/Osasco será contra o Bohai Bank, da China, no dia 14 de outubro, domingo, às 4h (de Brasília).

Favorito em 2012, o Sollys/Osasco já conquistou uma prata (2010) e um bronze (2011) no Mundial de Clubes
Favorito em 2012, o Sollys/Osasco já conquistou uma prata (2010) e um bronze (2011) no Mundial de Clubes
Foto: Fernando Borges / Terra
Fonte: Terra
publicidade