0

Finalista, técnico elogia ritmo forte e Sollys/Osasco responsável

18 out 2012
13h51
atualizado em 22/10/2012 às 19h00

Após garantir vaga em sua segunda final em um Mundial de Clubes, com uma vitória tranquila sobre o Lancheras de Cataño, de Porto Rico, por 3 sets a 0, parciais de 25/15, 25/13 e 25/15, nesta quinta-feira, em Doha, no Catar, o técnico do Sollys/Osasco, Luizomar de Moura, elogiou a atuação da equipe brasileira que, mesmo jogando com um adversário mais fraco tecnicamente, soube se impor para alcançar a vitória.

"O primeiro objetivo foi conquistado com essa vitória e a classificação para a final do Mundial de Clubes. O objetivo sempre é colocar o Brasil e o Sollys brigando por medalhas e por títulos. O time foi muito responsável nesta partida e impôs um ritmo forte desde o início. Agora vamos atrás do principal objetivo, que é o título inédito para o grupo. Sinto a equipe muito focada e agora e vamos se preparar para fazer uma grande final", comentou o treinador.

Na vitória contra o time porto-riquenho, o técnico pode contar com as reservas Samara e Dani Suco, que ainda não haviam estreado pelo Sollys/Osasco, além da oposta Ivna, e gostou do que viu em quadra. "Uma das características do Sollys é sempre a força do seu elenco. Hoje coloquei as meninas que não estavam atuando porque queria vê-las jogando com a Fabíola, já que treinam sempre com a Karine. São jogadoras que podem ser solicitadas e o objetivo foi deixar todo mundo preparado para essa grande final", afirmou.

A decisão, marcada para sexta-feira, às 11h (de Brasília), será contra o atual campeão mundial, o Rabita Baku, do Azerbaijão, que venceu o Fenerbahce, das brasileiras Mari e Paula Pequeno, por 3 sets a 0, parciais de 25/18, 25/20 e 25/16. O Sollys/Osasco, no entanto, já venceu a equipe azerbaijana na competição, por 3 sets a 1, na fase de grupos.

Após ser vice-campeão em 2010, perdendo a final para o Fenerbahce, então do técnico José Roberto Guimarães e da levantadora Fofão; e terceiro colocado no ano seguinte, vencendo o Mirador, da República Dominicana, mesmo jogando com uma equipe desfalcada, o Sollys/Osasco vai em busca de um título inédito.

Com o jogo nas mãos, Luizomar de Moura promoveu a entrada de algumas reservas, como Samara, Gabi e Ivna
Com o jogo nas mãos, Luizomar de Moura promoveu a entrada de algumas reservas, como Samara, Gabi e Ivna
Foto: FIVB / Divulgação
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade