1 evento ao vivo

Com "passos de formiga", Fernandinha ganha terreno na Seleção

14 jun 2012
10h00
atualizado em 15/6/2012 às 10h02

Ao longo do último ciclo olímpico, o técnico José Roberto Guimarães falou abertamente sobre a preocupação para escolher a sucessora de Fofão. Convocada pela primeira vez na carreira aos 32 anos, a levantadora Fernandinha estreou na etapa da Polônia do Grand Prix e, lentamente, sente um ganho de terreno.

"Durante as últimas três semanas, acho que dei um passo adiante. Eu me sentia muito atrás das outras duas, que já estavam mais entrosadas. A cada semana, com passinhos de formiga, vamos nos aproximando um pouco mais. Mas ainda tenho que correr muito, principalmente pela falta de entrosamento", disse Fernandinha.

Com pouco mais de um mês para o início dos Jogos Olímpicos de Londres 2012, o técnico Zé Roberto usa o Grand Prix como laboratório. Dani Lins e Fabíola, que participaram ativamente do último ciclo, são as concorrentes da experiente Fernandinha.

Na primeira fase do Grand Prix, com a veterana em ação, o Brasil venceu Itália, Sérvia e Polônia. "Na estreia, acho que ninguém consegue jogar 100% do que pode, mas me aproximei o máximo possível do que gostaria de ter feito nesta situação", analisou a levantadora.

Fernandinha passou as últimas temporadas no Azerbaijão, mas decidiu retornar ao Brasil para defender o recém-criado Campinas, time que será comandado justamente por Zé Roberto. Aos 32 anos, ela aponta a vivência no exterior como principal trunfo para vencer a concorrência e ganhar um lugar no time olímpico.

"Essa experiência que tive no exterior ajuda bastante, porque eu joguei do mesmo lado e contra muitas das jogadoras que vamos pegar durante o Grand Prix e também em Londres. Mas eu sei que, dentro da quadra, joga quem estiver melhor", declarou a atleta.

Além de não demonstrar qualquer tipo de preocupação em relação ao clima de indefinição em algumas posições, o comandante do time nacional procura incentivar a disputa entre as 24 atletas que ainda sonham com a possibilidade de integrar o grupo de 12 para os Jogos Olímpicos.

"Foi um teste difícil para a Fernandinha e acho que ela foi bem, mas precisa de alguns ajustes. Ela está conhecendo esse grupo agora e precisa se acostumar com a velocidade, a altura. A cada treino e jogo, ela vai se entendendo melhor com as atacantes. Ainda temos tempo para ver", declarou Zé Roberto.

Após vencer os três jogos da etapa polonesa do Grand Prix, o Brasil terá a oportunidade de testar suas levantadoras diante da própria torcida. Em São Bernardo do Campo, a Seleção enfrenta Alemanha (próxima sexta-feira), Itália (sábado) e Estados Unidos (domingo).

Técnico Zé Roberto (foto) acredita que Fernandinha ainda precisa de alguns ajustes
Técnico Zé Roberto (foto) acredita que Fernandinha ainda precisa de alguns ajustes
Foto: Mauro Pimentel / Terra
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade