1 evento ao vivo

Destaque alemã elogia Brasil e aguarda convite para Superliga

16 jun 2012
10h15
Emanuel Colombari
Direto de São Bernardo do Campo (SP)

Maren Brinker se tornou centro das atenções da seleção da Alemanha que enfrentou o Brasil nesta sexta-feira em São Bernardo do Campo (SP), pela quinta rodada do Grand Prix 2012. Melhor pontuadora da equipe germânica com 13 pontos (contra 20 de Sheilla, líder da estatística no jogo), a camisa 15 do time treinado por Giovanni Guidetti mostrou desenvoltura também fora das quadras, atendendo diversos fãs que pediam por fotos e autógrafos.

» Escolha a atleta mais bela dos Jogos Olímpicos de Londres 2012
» Brigas e dramas: relembre grandes momentos olímpicos
» Saiba todos os detalhes dos atletas brasileiros que estarão em Londres

Em sua terceira visita ao Brasil, após a disputa do Grand Prix de 2010 no Rio e de uma série de amistosos em 2011, Brinker aprendeu a falar pouco português - sua única comunicação com os torcedores era em um arranhado "obrigada", acompanhado de um sorriso. Mesmo assim, a ponteira alemã se mostrou contente com o ambiente encontrado na partida diante do Brasil, no Ginásio Adib Moysés Dib.

"O público é ótimo. Mesmo no jogo anterior (Estados Unidos 3 x 0 Itália), os fãs apoiavam os times", disse Brinker, que desde 2011 joga no Robursport Pesaro-ITA. "Gosto muito dos ginásios, das músicas, das danças. Na Alemanha, o ambiente é muito rígido. Aqui, são todos mais festivos", completou.

Após o jogo, a alemã conversava animadamente com a líbero brasileira Evelyn Delogu, com quem jogou até 2011 no Smart Allianz Stuttgart-ALE. Presente ao ginásio para encontrar a amiga, Evelyn ajudava com intérprete dos que queriam se aproximar da sorridente rival da Seleção Brasileira.

Mesmo a derrota de virada por 3 sets a 1 diante do Brasil não desanimou a atleta. "Este fim de semana é muito duro para nós, pois temos jogos contra adversários difíceis. Mas demos um passo importante", contou, referindo-se aos jogos contra Brasil (sexta-feira), Estados Unidos (sábado) e Itália (domingo). "Se jogarmos assim nos próximos jogos, talvez consigamos uma vitória", completou, citando a boa apresentação germânica no primeiro e no quarto sets do jogo desta sexta - o Brasil venceu por 18/25, 25/14, 25/18 e 26/24.

Diante do bom ambiente encontrado no Brasil, Maren Brinker não descarta a possibilidade de jogar no País, desde que convidada por um time da Superliga. "Posso me imaginar vivendo aqui no futuro. Podemos aprender muito aqui", completou a atleta, 25 anos.

Ao lado da brasileira Evelyn Delogu, Maren Brinker (15) atendeu fãs com sorriso de português arranhado
Ao lado da brasileira Evelyn Delogu, Maren Brinker (15) atendeu fãs com sorriso de português arranhado
Foto: FIVb / Divulgação
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade