1 evento ao vivo

Na volta de titulares, Brasil leva susto e vence de virada

15 jun 2012
22h52
atualizado às 23h42
Emanuel Colombari
Direto de São Bernardo do Campo (SP)

O Brasil levou um susto, mas conquistou nesta sexta-feira sua quarta vitória em quatro jogos pelo Grand Prix 2012. Em sua primeira partida do ano com as jogadoras titulares, poupadas nas três vitórias na Polônia, a equipe comandada pelo técnico José Roberto Guimarães derrotou a Alemanha de virada por 3 sets a 1, com parciais de 18/25, 25/14, 25/18 e 26/24. O duelo aconteceu no Ginásio Adib Moysés Dib, em São Bernardo do Campo (SP), e durou 1h52min.

Inicialmente desatenta em quadra, a equipe brasileira foi facilmente dominada pela Alemanha no primeiro set, graças aos dez pontos da dupla Corina Ssuschke-Voigt e Maren Brinker. No entanto, do segundo set em diante, a central Thaisa (15 pontos no jogo) e oposto Sheilla (19 pontos,sendo 10 no terceiro set) passaram a brilhar e a comandar os ataques brasileiros. Fabíola (4 pontos) e Fabiana (8 pontos) também se destacaram na virada.

Foi também a primeira vitória de três pontos do Brasil, já que nos três jogos anteriores pelo Grupo D, na Polônia, o time venceu sempre por 3 sets a 2 (contra italianas, sérvias e polonesas), somando dois pontos em cada. Assim, a Seleção feminina chega a nove pontos, a três dos Estados Unidos - as atuais bicampeãs venceram quatro jogos de três pontos cada e somam 12 pontos.

Na abertura dos jogos de São Bernardo do Campo pelo Grupo E, nesta sexta-feira, as americanas passaram pela Itália com mais uma vitória tranquila: 3 sets a 0, com parciais de 27/25, 25/20 e 25/17. As italianas são justamente as rivais do Brasil neste sábado, também no ABC Paulista, às 20h15 (de Brasília); antes, às 18h15, Estados Unidos e Alemanha abrem a rodada.

O jogo

De um lado, o Brasil entrou em quadra com Paula Pequeno, Thaisa, Jaqueline, Sheilla, Fabi (líbero) e Fabíola. A Alemanha tinha Dürr (líbero), Hanke, Ssuschke-Voigt, Beier, Maren e Brinker. Mesmo com um time experiente e o apoio da torcida, as comandadas de José Roberto Guimarães tiveram dificuldade logo de cara, permitindo que as visitantes abrissem 8/5 no primeiro set, antes da primeira parada técnica.

Na volta, as brasileiras começaram a diminuir a diferença, mas um erro de saque manteve o time de Giovanni Guidetti à frente, 9/7. Mais tarde, com a rotação da equipe, o Brasil conseguiu diminuir a diferença para um ponto (15/14), mas a boa atuação de Regina Burchardt e os erros de ataque das donas da casa complicaram o jogo. No fim, no vaiado saque rival, Paula Pequeno errou a recepção e selou a derrota na parcial: 25/18.

A situação não melhorou no começo do segundo set: dominando nos ataques com Ssuschke-Voigt e Burchardt, a Alemanha abriu 4/0 antes da primeira parada técnica - e só na volta o Brasil fez seu primeiro ponto. Reagindo, o Brasil sofria com sucessivos erros de ataque e com o poderio da rede alemã - mas as falhas na recepção germânica ajudaram, e as comandadas de José Roberto Guimarães viraram para 9/7.

A partir daí, graças aos eficientes bloqueios e ataques de Fabiana, a vantagem amarela chegou a 14/9 na parcial - até então, maior vantagem do Brasil no jogo. Confortáveis à frente do placar, as brasileiras dominaram o set, e com excelente aproveitamento de Thaisa no saque, empataram o jogo: 25/14 no set, encerrado com erro de ataque de Christiane Fürst.

Com os levantamentos de Fabíola mais centralizados no terceiro set e grande atuação de Sheilla, o Brasil não teve dificuldades para abrir novamente vantagem inicial - e foi graças a um bloqueio da camisa 17 que o Brasil venceu um belo rali e fez 7/5. A Alemanha reagiu, com direito a bolada no rosto de Fabiana, e empatou em 7/7; no entanto, com ataque de Sheilla, o Brasil fez o oitavo ponto.

O equilíbrio seguiu diante de nova parada técnica, e a Alemanha chegou a virar; no entanto, ligada no jogo, a Seleção conseguiu retomar a frente e abrir 13/10. Aí, a exemplo do que aconteceu no segundo set, as alemãs passaram a errar na recepção dos saques - sorte do Brasil, que tinha Fabíola inspirada no fundamento. Fim da parcial: 25/18 para o Brasil.

O domínio amarelo continuou no quarto e último set. Com precisão na defesa e ataques fulminantes de Jaqueline, a equipe de José Roberto Guimarães fez rapidamente 9/5. A Alemanha até ameaçou diminuir no bloqueio de Denise Hanke (11/9), mas as donas da casa se mostravam mais confiantes e se permitiam poucos erros - concentrados especialmente no saque.

Mas os erros começaram a se repetir no Brasil, tanto nos ataques bloqueados quanto nas defesas abertas. A Alemanha virou para 15/13 e passou a ameaçar uma vitória que parecia segura. Com 17/16 para as rivais, o Brasil teve a chance de igualar, mas a arbitragem marcou condução de Adenizia: 18/16 e muitas vaias. O empate veio rápido, com um ataque de costas Fabiola (18/18), mas as germânicas voltaram à frente e ficaram perto da vitória da parcial, após um belo rali (22/20).

Mas veio o empate e a virada, graças aos fatais erros de ataque da Alemanha. Com 23/22, e Thaisa mais uma vez sacando, o Brasil tinha o ponto do jogo em mãos, mas a Alemanha reagiu e empatou mais uma vez: 24/24. Mas aí, com dois erros de recepção das adversárias, o Brasil finalmente conseguiu fechar o dramático em 26/24.

Seleção Brasileira passou pelas alemãs por 3 sets a 1 em 1h52min de partida
Seleção Brasileira passou pelas alemãs por 3 sets a 1 em 1h52min de partida
Foto: Léo Pinheiro / Terra
Fonte: Terra
publicidade