0

Jaqueline prevê dificuldades, mas confia em elenco por Mundial inédito

18 out 2012
19h20
atualizado em 22/10/2012 às 18h57

O Sollys/Osasco está a apenas uma vitória de entrar para a história do vôlei nacional, já que disputa na manhã desta sexta-feira a final do Campeonato Mundial de clubes com o Rabita Baku, campeão da edição passada do torneio. Os times se encontraram na primeira fase, com vitória da equipe de brasileira, mas a capitã Jaqueline acredita que a decisão da competição será mais difícil. Mesmo assim, confia na força do elenco paulista para conquistar o título pela primeira vez.

Após estrear com uma vitória fácil sobre o Bohai Bank, da China, o Sollys/Osasco teve um pouco mais de trabalho na manhã desta segunda-feira em Doha, no Catar. Jogando contra o atual campeão mundial, o Rabita Baku, do Azerbaijão, a equipe brasileira venceu por 3 sets a 1, parciais de 22/25, 25/20, 25/19 e 25/19, em partida válida pela segunda rodada do Campeonato Mundial de Clubes.
Após estrear com uma vitória fácil sobre o Bohai Bank, da China, o Sollys/Osasco teve um pouco mais de trabalho na manhã desta segunda-feira em Doha, no Catar. Jogando contra o atual campeão mundial, o Rabita Baku, do Azerbaijão, a equipe brasileira venceu por 3 sets a 1, parciais de 22/25, 25/20, 25/19 e 25/19, em partida válida pela segunda rodada do Campeonato Mundial de Clubes.
Foto: FIVB / Divulgação

Na segunda rodada da primeira fase do Mundial, o Sollys derrotou o Rabita Baku por 3 sets a 1, em partida em que contou com grandes atuações sobretudo de Sheilla, Thaísa e Adenízia.

"É simplesmente o último campeão mundial de clubes, elas sabem como funciona e estão acostumadas com grandes títulos internacionais. Elas cresceram muito com a saída da Aurea Cruz e a entrada da Dobriana Rabadzhieva, que melhorou o passe, o fundo de quadra e o próprio ataque, por isso, tenho certeza que é uma equipe ainda mais forte do que quando as enfrentamos na primeira fase", avaliou a ponteira da Seleção Brasileira.

A equipe de Osasco faz uma campanha perfeita até então no Mundial. Nesta quinta-feira, arrasou na semifinal o Lancheras de Cataño, de Porto Rico, e chegou a sua terceira vitória em três partidas. Na primeira fase, o time também passou sem problemas pelo Bohai Bank.

Para a final, todas as atletas brasileiras têm uma motivação extra, já que nunca conquistaram o Mundial, nem mesmo com a Seleção Brasileira, vice-campeã em 2006 e 2010. Na competição entre clubes, o Sollys ficou com o segundo lugar em 2010, perdendo a final para o Fenerbahce.

"No decorrer do torneio o time demonstrou uma boa crescente e isso é muito importante para uma final. Agora temos que seguir fazendo cada uma o seu papel como fizemos até o momento. Estamos em busca do nosso primeiro título Mundial e todos estão confiantes. O grupo inteiro quer muito esse título e vamos dar de tudo para levar esse troféu para o Brasil", disse Jaque.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade