Vôlei

publicidade
07 de abril de 2013 • 14h51

Novata Gabi supera pressão e torce por vaga na Seleção Brasileira

Mais nova atleta em quadra na final da Superliga feminina de vôlei, a ponteira Gabi mostrou personalidade e não se intimidou frente a forte pressão da torcida e da equipe adversária. A jogadora da Unilever contou com o apoio das companheiras mais velhas e comemorou o título, já sonhando com uma vaga na Seleção Brasileira comandada por José Roberto Guimarães.

" A adrenalina estava a mil, toda hora a torcida ficava gritando para sacar em mim ou na Natália. Mas isso, durante a partida, a gente acabou acostumando. Eu tive a oportunidade de jogar ao lado de atletas muito experientes, que toda hora passavam tranquilidade", ressaltou Gabi.

Com apenas 18 anos, ela teve a responsabilidade de entrar na equipe titular no lugar da norte-americana Logan Tom, lesionada, durante a fase decisiva do torneio. Confiante, Gabi explicou que não desistiu de conquistar o título em momento algum, mesmo quando viu o time do Sollys/Nestlé vencer os dois primeiros sets.Para a ponteira, a união da equipe fez a diferença. "A partir do terceiro set todo mundo acreditou. A união do nosso time foi o diferencial, nós não desistimos em momento nenhum e, com o Bernardinho nos incentivando, conseguimos virar o jogo", afirmou a jovem atleta, que segue sonhando com uma participação na Seleção principal.

"É muito difícil falar sobre Seleção principal agora, mas claro que eu vou ficar muito feliz se conseguir essa vaga. Apareceram muitas revelações na Superliga, não tem nada garantido, mas ficaria muito feliz se o Zé Roberto me convocasse", declarou, por fim.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva