0

Vôlei Futuro envia documento à CBV e ao STJD relatando ofensas

5 abr 2011
15h56
atualizado às 17h25

A equipe do Vôlei Futuro, que afirmou ter sido alvo de ofensas no último dia 1º por parte da torcida do Sada Cruzeiro, na partida válída pelas semifinais da Superliga Masculina de vôlei, em Contagem (MG), enviou nesta terça-feira um documento oficial para a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) e para o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) relatando a homofobia contra o jogador Michael, o despreparo dos seguranças a superlotação do Ginásio do Riacho.

Clube paulista alega que Michael foi alvo de homofobia por parte da torcida mineira
Clube paulista alega que Michael foi alvo de homofobia por parte da torcida mineira
Foto: Vôlei Futuro / Divulgação

Primeiramente, o Vôlei Futuro vai entrar em contato com as duas instituições responsáveis. A CBV, por sua vez, divulgou nesta tarde que o árbitro e o delegado da partida não relataram nada fora do normal durante o jogo.

Michael dos Santos, jogador do time visitante, declarou que foi alvo de preconceitos por parte de toda a torcida mineira, incluindo "mulheres e crianças", que o chamavam de "bicha" e "gay".

A equipe de Araçatuba aguarda uma posição dos organizadores da Superliga Masculina para tomar atitudes futuras. Na noite da última segunda, tanto o Vôlei Futuro quanto o Sada Cruzeiro divulgaram comunicados oficiais - a equipe paulista relata superlotação, seguranças aparentemente alcoolizados e hostilidade por parte da torcida da casa.

A direção do time de Minas, por sua vez, definiu a atitude de seu adversário como uma "nítida manobra no sentido de intimidar nossa equipe". A partida em questão foi vencida pelo Sada Cruzeiro por 3 sets a 2, com parciais de 25/20, 25/22, 23/25, 23/25 e 15/9.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade