PUBLICIDADE

Saiba como a corrida pode ser benéfica para as crianças

12 out 2012 07h43
Publicidade

Já se foi o tempo em que corrida de rua era considerada uma prática voltada somente para gente grande. Nos últimos anos, o número de provas para crianças cresceu significativamente, demonstrando que a modalidade também caiu nas graças da garotada. Atualmente, 90% dos principais organizadores de corridas de rua contam com ao menos uma prova infantil em seu calendário anual. Uma das mais tradicionais, a São Silvestrinha, por exemplo, completará este ano 19 edições. O motivo é que os jovens corredores estão descobrindo cada vez mais cedo os prazeres proporcionados pela atividade.

Nos últimos anos, o número de provas para crianças cresceu significativamente, demonstrando que a modalidade também caiu nas graças da garotada. Atualmente, 90% dos principais organizadores de corridas de rua contam com ao menos uma prova infantil em seu calendário anual
Nos últimos anos, o número de provas para crianças cresceu significativamente, demonstrando que a modalidade também caiu nas graças da garotada. Atualmente, 90% dos principais organizadores de corridas de rua contam com ao menos uma prova infantil em seu calendário anual
Foto: shutterstock / Terra



Dentre os benefícios que os pequenos podem obter com o exercício, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), estão o desenvolvimento da força muscular, flexibilidade, resistência, aperfeiçoamento da coordenação motora, estímulo do metabolismo ósseo, aumento da capacidade respiratória e cardíaca, melhora do humor e do apetite, além de prevenir a obesidade e, em longo prazo, diminuir o risco de hipertensão, diabetes e cardiopatia isquêmica (arteriosclerose). "O maior benefício, porém, é despertar na criança o interesse pelo esporte, independentemente de que ela venha se tornar um atleta de ponta ou não. O gosto pela atividade física certamente fará dela um adulto mais saudável e alegre", comenta Cleber Guilherme, treinador do Centro de Excelência Esportiva do Ibirapuera, em São Paulo, e diretor-técnico da assessoria esportiva que leva seu nome.



A prática da corrida para as crianças, no entanto, deve ter um direcionamento diferente do que o esporte representa para um corredor adulto. Isso porque elas ainda estão em fase de desenvolvimento (físico e emocional). Dessa forma, o enfoque da atividade nesse período deve ser mais lúdico, relacionado ao prazer e à diversão, o que fará com que o pequeno corredor crie gosto pelo exercício. "Nessa fase, não deve ser focado o aspecto competitivo e nem haver exigências em relação a resultados e desempenho, nem mesmo para aquelas mais talentosas. Além de a criança ainda não ter formação para isso, ela certamente vai acabar desistindo por conta da pressão e dificilmente retornará ao esporte. Se os pais observarem que seu filho tem potencial para a corrida, eles devem incentivar. Porém a cobrança por resultados deve existir somente após os 19 anos", salienta Guilherme.



De forma geral, a idade recomendada para que uma criança possa começar a prática é por volta dos 10 anos. No entanto, é só a partir dos 15 anos que o treinamento deve ser direcionado. "Antes, o ideal é que ela também pratique outras modalidades que promovam estímulos diferentes e um desenvolvimento mais amplo, evitando assim a especialização precoce", afirma o técnico do Centro de Excelência. Outro aspecto importante diz respeito à adequação das distâncias em relação à faixa etária. Segundo Guilherme, até os 19 anos, as provas devem ser inferiores a 5 km. O técnico sugere que os pais incentivem a criança a participar de uma competição por mês, o que deve mantê-la motivada. Já em relação aos treinos, corridas de até 20 minutos são suficientes para a maioria dos jovens corredores. "O tempo de corrida em minutos deve ser equivalente à idade da criança. Uma de 10 anos, por exemplo, deve correr 10 minutos", sugere.



Roda Livre
Especial para o Terra
Fonte: Terra
Publicidade