1 evento ao vivo
Logo do Seleção Brasileira
Foto: terra

Seleção Brasileira

Seleção Brasileira

Brasil pega México sob risco de vaia paulista e sem Neymar

Heuler Andrey/ Mowa Press / Divulgação
7 jun 2015
07h56
atualizado às 08h01
  • separator
  • 0
  • comentários

A boa fase da Seleção Brasileira passará por um difícil teste, neste domingo, às 17h (de Brasília): o time enfrentará o México sem contar com seu principal astro, Neymar, e correndo risco das tradicionais vaias do público paulista. É um teste duro para uma equipe que ainda está em formação para disputa da Copa América, competição na qual vai estrear daqui a uma semana.

Neymar é desfalque porque jogou - e venceu - a final da Liga dos Campeões neste sábado. Sem ele, é claro que o Brasil mudará bastante, mas Dunga tenta olhar pelo lado positivo. "É importante para gente ver uma forma diferente de jogar em um jogo importante. E para poder colocar mais gente para jogar, ter alguma coisa diferente testada", disse.

Pegadinha! Taffarel tira onda com goleiros da Seleção

Além de não ter Neymar, Dunga também não contará com Oscar, que está lesionado e sequer foi convocado. Além disso, o atacante Robinho sentiu dores no joelho e também diminuiu as opções do técnico. Então o quarteto ofensivo do Brasil será formado por Fred, Willian, Philippe Coutinho e Diego Tardelli.

Mas torcedores nunca querem saber se o time está muito desfalcado ou em construção. Eles querem resultado. E no caso da torcida paulista a exigência é maior que o normal: já existe até uma tradição de vaias na cidade, com um longo histórico.

Na Copa do Mundo de 1950, por exemplo, a Seleção foi vaiada na Copa do Mundo porque o time era considerado muito carioca. O resultado de 2 a 2 contra a Suíça só piorou a situação.

Em 2014, Neymar saiu cabisbaixo e sob vaias em São Paulo
Em 2014, Neymar saiu cabisbaixo e sob vaias em São Paulo
Foto: Alan Morici / Terra

Após 50 anos, aconteceu uma imagem marcante: o empate por 0 a 0 com a Colômbia se estendeu demais, então a torcida passou a jogar pequenas bandeiras, que tinham sido entregues antes, em direção ao gramado. Porém, Roque Júnior fez um gol aos 47min do 2º tempo e calou as vaias.

Em 2007, Dunga era técnico do Brasil e teve que aguentar a vaia paulista, pois estava perdendo para o Uruguai. Luís Fabiano salvou o time com gols aos 43min do segundo tempo.

Até mesmo Neymar já sofreu com vaias paulistas, por causa de uma birra clubística, já que foi revelado no Santos. Ele não atuou bem contra África do Sul em 2012 e nem contra a Sérvia em 2014 - ambos jogos vencidos por 1 a 0 -, então acabou sentindo a pressão em São Paulo.

Agora a história é diferente, sendo que a torcida brasileira não terá Neymar, seja para salvá-la ou para vaiá-lo. Como Dunga disse, será um teste importante para o Brasil.

México mais fraco

Se o Brasil tem problemas, pelo menos pode comemorar o fato de o México estar na mesma situação. Em primeiro lugar, porque não convocou seus astros, como Chicharito Hernández, para que eles disputem a Copa Ouro no mês que vem. Além disso, o time do técnico Miguel Herrera também está em formação e fará testes com alguns jogadores que só se somaram ao plantel nos últimos dias.

A possível escalação do México será a seguinte: Jesús Corona; George Corral, Cata Domínguez, Rafael Marquez, Huho Ayala e Adián Aldrete; Javier Güemez, Mario Osuna e Tecatito; Eduardo Herrera e Raúl Alonso Jiménez

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade