3 eventos ao vivo

César Cielo e Fabiana Murer conquistam Prêmio Brasil Olímpico 2011

19 dez 2011
20h39
atualizado às 22h23
Luís Bulcão
Direto do Rio de Janeiro

Fabiana Murer e César Cielo foram os grandes vencedores do Prêmio Brasil Olímpico 2011, realizado na noite desta segunda-feira, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Ambos foram eleitos os melhores atletas de 2011, em noite de exaltação dos esportistas olímpicos, que entram na reta final de preparação para os Jogos de Londres 2012.

» Veja conquistas amorosas dos atletas que podem brilhar em Londres
» Confira os brasileiros que já garantiram vaga nos Jogos de Londres

Fabiana Murer conquista a premiação pelo segundo ano consecutivo: em 2010, ela também foi a maior vencedora no evento. No discurso, agradeceu aos patrocinadores, aos pais pelo incentivo no esporte e prometeu esforço máximo por uma medalha de ouro na Olimpíada.

A atleta conseguiu o primeiro ouro brasileiro da história dos Mundiais de atletismo ao igualar sua melhor marca no salto com vara, 4,85 m, em Daegu, Coreia do Sul. Superou adversárias de peso como a russa Yelena Isinbayeva e a alemã Martina Strutz para vencer a competição. Além disso, também foi bem no Pan-Americano de Guadalajara: ficou com a prata, sendo superada pela cubana Yarisley Silva, "azarão" da prova.

Maurren Maggi, que também concorria, foi eleita em duas oportunidades a atleta do ano pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB): 1999 e 2008. Também venceram Leila Barros (vôlei, 2000), Daniele Hypólito (ginástica, 2001 e 2002), Daiane dos Santos (ginástica, 2003 e 2004), Natália Falavigna (taekwondo, 2005), Laís Souza (ginástica, 2006), Jade Barbosa (ginástica, 2007) e Sarah Menezes (judô, 2009).

César Cielo conquistou o "tri" da premiação em 2011. Ele também foi o grande vencedor em 2008 e 2009. No discurso, fez referências ao caso de doping, se emocionou e foi às lágrimas. "Ás vezes a gente cai em um buraco, e fica difícil enxergar dele. Mas foi minha fé que me segurou esse tempo todo. Foi um ano difícil".

O nadador passou por grande escândalo em 2011: o caso de doping em junho, pelo qual foi absolvido no mês seguinte. Apesar disso, brilhou no Pan de Guadalajara e também no Mundial de Xangai, com exceção dos 100 m, prova na qual acabou sem pódio. Se firmou como maior esperança olímpica brasileira e um dos maiores velocistas do mundo nas piscinas.

"Mas a gente está aqui de pé como campeão mundial. Bicampeão mundial", apontou Cielo, ganhando aplausos. "Espero que tenha mostrado para muita gente que a gente pode mais. É um aprendizado que levo para a Olimpíada. Esse é o carinho que eu precisava para ter certeza que estava de volta", encerrou o brasileiro.

Entre os homens, também venceram o Prêmio Brasil Olímpico Gustavo Kuerten (tênis, 1999 e 2000), Robert Scheidt (iatismo, 2001), Nalbert (vôlei, 2002), Fernando Meligeni (tênis, 2003), Vanderlei Cordeiro de Lima (atletismo, 2004), João Derly (2005), Giba (vôlei, 2006), Thiago Pereira (natação, 2007) e Murilo Endres (vôlei, 2010).

Os três indicados ao prêmio principal da noite e os eleitos em cada uma das 47 modalidades foram definidos por um juri composto por jornalistas, dirigentes, ex-atletas e personalidades do esporte. Na escolha do atleta do ano, esses votos tiveram peso de 50%. O restante foi definido pelo voto popular no site do COB.

Mais premiados e homenageados

Outros destaques de 2011 foram homenageados durante o Prêmio Brasil Olímpico. O argentino Ruben Magnano, que levou a Seleção masculina de basquete à classificação para a Olimpíada após 16 anos, foi eleito o melhor treinador. Ele conseguiu o feito ao chegar à final da Copa América de Mar Del Plata, na Argentina. No palco, agradeceu a dirigentes e atletas, e exaltou o trabalho duro. "Me sinto orgulhoso por conquistar isso em um país que não é o meu", afirmou.

Entre as mulheres, a técnica eleita foi Rosicleia Campos, da equipe feminina de judô, apesar de ela própria ter criticado o desempenho de suas atletas no Pan de Guadalajara. No Mundial de Paris, no entanto, as judocas comandadas pela ex-atleta olímpica foram bem, conseguindo três medalhas (uma de prata e duas de bronze). Em discurso longo, agradeceu familiares, dirigentes e atletas: "é muito bom ser premiada por algo que você diz com muito carinho e dedicação".

O prêmio Troféu Comitê Olímpico Internacional foi entregue para o projeto Jovens Talentos de Badminton, da Federação Piauiense da modalidade, executado em escolas públicas de Teresina. Destaques das olimpíadas escolares também foram homenageados na cerimônia. Por indicação da Confederação Brasileira de Desportos Universitários, Sabine Heitling e João Luiz Gomes Junior foram premiados como os melhores atletas universitários.

Já o Troféu Adhemar Ferreira da Silva, criado para homenagear atletas que mantêm em alta o espírito esportivo e olímpico, foi entregue ao ex-jogador de vôlei Bernard Rajzman, que será o chefe da missão brasileira na Olimpíada de 2012. "É a maior comenda, o maior reconhecimento do desporto olímpico", exaltou Rajsman, emocionado, antes de fazer intensos elogios ao presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman.

O evento

O Prêmio Brasil Olímpico começou com a execução do Hino Nacional, enquanto uma bandeira brasileira digital tremulava no telão montado sobre o palco. O Hino Olímpico também foi executado. O evento teve apresentação dos jornalistas Luís Carlos Junior e Vanessa Riche. Carlos Arthur Nuzman fez o primeiro discurso. Agradeceu as autoridades, especialmente o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo.

"Começamos agora o ano olímpico de Londres, um ano muito importante. Quero deixar com vocês imagens do esforço dos atletas que vão ficar muito mais claras, imagens do construção de um sonho em Londres e, principalmente, em 2016", disse o dirigente. Apresentações de dança com banda ao vivo intercalavam a entrega de prêmios e homenagens. O ator Odilon Vagner fez algumas participações, exaltando a jornada do atleta.

No final, Zélia Duncan subiu ao palco para cantar um medley dos Beatles, banda britânica que foi formada em Liverpool. Acompanhada de dançarinos no palco e de imagens em referência à Olimpíada de Londres no telão, a cantora executou Here comes the sun e I wanna hold your hand.

Os melhores de 2011 em cada modalidade

Atletismo - Fabiana Murer
Badminton - Daniel Paiola
Basquete - Marcelo Huertas
Boliche - Marcelo Suartz
Boxe _ Everton Lopes
Canoagem slalom - Cássio Petry
Canoagem velocidade - Nivalter Santos
Ciclismo BMX - Renato Rezende
Ciclismo estrada - Murilo Fischer
Ciclismo mountain bike - Rubens Valeriano
Ciclismo pista - Sumaia Ribeiro
Desportos na neve - Mirlene Picin
Desportos no gelo - Luiz Fernando Manella
Esgrima - Guilherme Toldo
Esqui aquático - Marcelo Giardi
Futebol - Neymar Santos
Ginástica artística - Diego Hypólito
Ginástica de trampolim - Giovanna Matheus
Ginástica rítmica - Angélica Kvieczynski
Handebol - Chana Masson
Hipismo - adestramento - Luiza Almeida
Hipismo - CCE - Serguei Fofanoff
Hipismo - saltos - Bernardo Alves
Hóquei sobre grama - Thalita Cabral
Judô - Leandro Guilheiro
Karatê - Lucélia Brose
Levantamento de peso - Fernando Reis
Lutas - Aline Ferreira
Maratona aquática - Poliana Okimoto
Natação - Cesar Cielo
Natação sincronizada - Nayara Figueira
Patinação artística - Marcel Stürmer
Pentatlo moderno - Yane Marques
Polo aquático - Marina Canetti
Remo - Fabiana Beltrame
Rugby 7 - Diego Lopez
Saltos ornamentais - Cesar Castro
Squash - Thaisa Serafini
Taekwondo - Marcio Ferreira
Tênis - Rogério Dutra
Tênis de mesa - Hugo Hoyama
Tiro com arco - Ana Marcelle dos Santos
Tiro esportivo - Ana Luiza Ferrão
Triatlo - Reinaldo Colucci
Vela - Robert Scheidt / Bruno Prada
Vôlei de praia - Emanuel Rêgo
Vôlei - Murilo Endres

Cielo e Murer receberam prêmio das mãos do ministro do Esporte, Aldo Rebelo
Cielo e Murer receberam prêmio das mãos do ministro do Esporte, Aldo Rebelo
Foto: Satiro Sodré/Agif / Gazeta Press
Fonte: Terra
publicidade