1 evento ao vivo

No dia em que perdeu Neymar, Brasil foi mais faltoso da Copa

Sob a arbitragem do espanhol Carlos Velasco Carballo, a equipe verde e amarela bateu recorde de faltas na competição e ditou ritmo do jogo disputado contra a Colômbia, em Fortaleza

5 jul 2014
08h52
atualizado às 10h04
  • separator
  • comentários

O Brasil sofreu nesta sexta-feira, diante da Colômbia, provavelmente o seu maior desfalque em Mundiais desde 1962 – quando Pelé teve estiramento na virilha e acabou cortado ainda na segunda partida do torneio. A joelhada de Zuñiga nas costas de Neymar – que fraturou a terceira vértebra lombar do craque verde e amarelo e o tirou da Copa -, porém, foi apenas o retrato de um jogo que a Seleção Brasileira ajudou a construir nas quartas de final. Sob a arbitragem do espanhol Carlos Velasco Carballo, a equipe verde e amarela fez muitas faltas e ditou o ritmo do jogo disputado na Arena Castelão.

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol
Relembre todos os lances polêmicos da Copa do Mundo de 2014

De acordo com estatísticas da Fifa, o Brasil cometeu 31 faltas no duelo diante dos colombianos. Este foi o maior número já registrado por uma seleção na atual edição da Copa do Mundo. O antigo recorde, curiosamente, também pertencia ao time comandado por Luiz Felipe Scolari, que fizera 28 infrações contra o Chile, nas oitavas de final. A Colômbia, por sua vez, também não deixou por menos e ouviu o apito 23 vezes. O jogo, então, teve 54 infrações – bem acima da média de 30 por partida e também número recorde do Mundial.

Seleções com mais faltas em uma partida na Copa de 2014
Seleção Jogo Faltas
Brasil  x Colômbia 31
Brasil  x Chile 28
Suíça  x Argentina 28
Bélgica  x EUA 27
Holanda  x Chile 26

Boa parte da responsabilidade pela “pancadaria” ocorrida em Fortaleza se deve ao árbitro Carlos Velasco Carballo. O espanhol se mostrou despreparado para comandar um jogo de mata-mata envolvendo duas seleções sul-americanas e não coibiu a violência quando ela começou a tomar conta do duelo.

No total, foram apenas dois cartões amarelos para cada lado - sendo que um deles, mostrado para Thiago Silva, só apareceu porque o zagueiro evitou a reposição de bola do goleiro Ospina.

Apesar de ter tido como consequência a perda de Neymar – que pode ser definitiva para o destino do Brasil na Copa –, tal estilo de jogo não prejudicou os comandados de Luiz Felipe Scolari na partida desta sexta. A Seleção usou as faltas para “picotar” o duelo e cadenciar a veloz Colômbia durante a maior parte do tempo.

Olhando para os números, brasileiros e colombianos correram pouco (menos de 100km, no total) e não trocaram muitos passes. A equipe canarinho só completou 265 de 369 toques, muito menos do que em qualquer outro jogo desta Copa, mas não apelou para os "chuveirinho", como contra o Chile. Além disto, teve mais posse de bola e finalizações que o adversário. Júlio César encerrou a partida sem fazer uma defesa sequer.

Compare os números da Seleção Brasileira:

- Brasil 3 x 1 Croácia Brasil 0 x 0 México Camarões 1 x 4 Brasil Brasil 1 (3) x (2) 1 Chile  * Brasil 2 x 1 Colômbia
Posse de bola 58% 54% 54% 49% 52%
Passes completados/tentados 433/566 352/476 373/486 393/574 265/369
Índice de acerto de passes 77% 74% 77% 68% 72%
Cruzamentos 20 28 13 39 13
Finalizações 14 14 18 23 12
Bolas perdidas 85 77 76 116 79
Faltas 5 13 19 28 31
Distância percorrida 102.1 km 97.3 km 101.6 km 136.3 km 96.4 km

*Jogo disputado em 120 minutos, por causa da prorrogação

Seleções mais faltosas da Copa
Seleção Média de Faltas por partida
Costa Rica 20.2
Brasil 19.2
Holanda 19
Uruguai 18.5
Colômbia 18.2
Jogos mais faltosos da Copa
Partida Rodada Faltas
Brasil 2 x1 Colômbia Quartas de final 54
Brasil 1 (3) x (2) 1 Chile Oitavas de final 51
Argentina 1 x 0 Suíça Oitavas de final 47
Austrália 2 x 3 Holanda 43
Japão 0 x 0 Grécia 41

Veja os gols em 3D da Copa Veja os gols em 3D da Copa

Fonte: Terra
  • separator
  • comentários
publicidade