0

Em português, holandês elogia Diego Costa e ignora vaias

14 jun 2014
09h56
  • separator
  • 0
  • comentários

Bruno Martins Indi não é um jogador de se incomodar por pouca coisa. O zagueiro foi titular e teve ótima atuação no massacre da Holanda sobre a Espanha, por 5 a 1, na última sexta-feira, mesmo sentindo dores musculares. Também não ligou para a cabeçada que levou de Diego Costa fora do lance, devolvendo um olhar intimidador para o atacante brasileiro. E fez pouco caso até das vaias e xingamentos sofridas pelo rival durante todo o jogo na Arena Fonte Nova.

Bruno Martins Indi durante jogo da Holanda contra Espanha
Bruno Martins Indi durante jogo da Holanda contra Espanha
Foto: Getty Images

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

"Ele me bateu um pouco aqui na cabeça, mas não faz mal. Ele é homem, eu sou homem. Não foi nada", disse Indi após o jogo, em português – o jogador de 22 anos nasceu no Barreiro, cidade de 40 mil habitantes em Portugal, mas joga pelo Feyenoord desde as categorias de base e obteve a cidadania holandesa para defender a seleção laranja.

Perguntado se Diego estaria em um dia ruim por causa da hostilidade que recebeu das arquibancadas em Salvador, Bruno balançou a cabeça e, em seu português meio estranho, pouco utilizado após tantos anos jogando na Holanda, negou. "Não, não. Ele é um bom jogador. Se você está na Copa do Mundo, tem que ser bom", minimizou.

Bruno foi um dos melhores da defesa holandesa na goleada sobre os espanhóis. Atuando pela esquerda na formação de três zagueiros do técnico Van Gaal, ele mostrou firmeza na marcação, atenção para evitar bolas nas costas e qualidade para sair jogando com o pé esquerdo. As melhores chances da Espanha – o pênalti sobre Diego Costa, a chance perdida por David Silva – saíram todas do outro lado, em cima de seus companheiros De Vrij e Vlaar.

"Temos muita esperança e estamos muito contentes que ganhamos. A Espanha jogou bem, mas nosso time jogou bem também. Jogamos com a cabeça, chegamos com muita garra. A gente ficou contente. Ainda tenho um pouco de dor, mas vou ver no treino como vai", afirmou o camisa 4 da Holanda, parte da grande renovação aplicada por Van Gaal na seleção.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade