1 evento ao vivo

Com poucos recursos e treinos em piscina de 25m, palestina sonha com Rio 2016

15 jul 2016
10h04
  • separator
  • comentários

A nadadora palestina Mary Al Atrash conta os dias para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, dos quais participará na prova de 50 metros estilo livre e se prepara, sem descanso, apesar dos recursos limitados com que conta.

Mary Al Atrash, de 22 anos e natural de Beit Sahur, perto de Belém, pula na piscina após uma ordem de seu treinador, Musa Nawawra, e apura os últimos treinamentos antes de viajar para a Argélia, onde se juntará à delegação da Palestina e terminará a preparação para representar sua nação nos Jogos do Rio, que começam no próximo dia 5 de agosto.

Sua melhor marca é de 29s91, quase cinco segundos mais lenta que a exigida para a classificação olímpica (25s28).

Mary é uma das atletas que competem graças ao programa do Comitê Olímpico Internacional (COI) para as nações cujos atletas não conseguiram alcançar o índice.

"Os palestinos enfrentam muitas dificuldades para participar de competições internacionais, não temos as mesmas instalações que outros países", disse à Agência Efe a nadadora, que nas últimas semanas aumentou seu treinamento para duas vezes ao dia.

Jerusalém, que fica a apenas oito quilômetros de Beit Sahur, conta com várias piscinas olímpicas - de 50 metros - e nadadores competitivos, mas Mary Al Atrash tem que se conformar em treinar em uma de 25 metros porque, alegou, "Israel não lhe dá permissão para sair da Cisjordânia, exceto em raras ocasiões como no Natal ou na Semana Santa".

"Nossas facilidades são poucas. Não ter piscinas olímpicas (na Palestina) cria dificuldades, mas somos ambiciosos e queremos levantar nossa bandeira e levar o nome dos palestinos para todo o mundo", afirmou a jovem, que faz parte da comunidade cristã palestina.

Seu técnico, Musa Nawawra, confia no sucesso da jovem e disse que, para compensar o déficit provocado por treinamentos que acontecem em uma piscina da metade de tamanho de uma oficial para Jogos Olímpicos, eles treinam muito e "trabalham muito duro".

Formada em Administração de Empresas na Universidade de Belém, Mary começou a nadar quando tinha 7 anos e hoje treina sem intervalo na piscina do hotel YMCA de Beit Sahur para estar pronta até o Rio 2016.

Sob o lema da competição, "Um mundo novo", esta jovem levará a bandeira vermelha, branca, verde e preta da Palestina na cerimônia de abertura "diante de heróis mundiais" e orgulhosa por sua delegação "estar entre eles", conforme afirmou.

Mary Al Atrash competiu em lugares como China, Líbano, Catar, Dubai e Rússia e, embora esteja ciente de que está abaixo do índice, se considera uma vitoriosa só "por levar ao mundo a mensagem da questão palestina".

"Ofereço minha participação como um presente para os palestinos", frisou ela à Efe.

A futura atleta olímpica diz contar com o apoio de seus pais desde a infância e incentiva todos os atletas a "continuarem treinando até que alcancem seus objetivos".

"Digo a você para nunca perder a esperança de se tornar parte dos campeões mundiais", encorajou.

A nadadora será uma dos seis atletas que competirão no Rio de Janeiro pela Palestina, que terá sua maior delegação nos Jogos desde que estreou, em Atlanta 1996. Os outros integrantes são Mohammed Abu Khousa, que vai correr os 100 e 200 metros rasos, Mayada Sayad, que participará da maratona, o nadador Ahmed Jibril, dos 200 e 400 metros estilo livre, e os germânico palestinos Christian Zimerman, no hipismo, e Simon Yacoub, no judô.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade