0

Arbitragem ficará visada em Brasil x México após polêmicas

17 jun 2014
09h38
atualizado às 09h42
  • separator
  • 0
  • comentários

Um pênalti polêmico em Fred, que colocou a Seleção Brasileira em vantagem contra a Croácia, e dois gols marcados por Giovanni dos Santos, anulado pelo juiz do jogo contra Camarões. Os lances que beneficiaram brasileiros e prejudicaram os mexicanos fazem com que as atenções da partida deste terça-feira, na Arena Castelão, sejam divididas entre a atuação do trio de arbitragem e o desempenho dos atletas em campo. 

<p>Arbitragem do turco Cunneyt Cakir promete ficar visada após os lances polêmicos nas partidas de México e Brasil na estreia</p>
Arbitragem do turco Cunneyt Cakir promete ficar visada após os lances polêmicos nas partidas de México e Brasil na estreia
Foto: Getty Images

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

<p>Lance de Fred ainda gera repercussão na imprensa internacional; Felipão acha que é uma tentativa de desestabilizar a Seleção Brasileira</p>
Lance de Fred ainda gera repercussão na imprensa internacional; Felipão acha que é uma tentativa de desestabilizar a Seleção Brasileira
Foto: Paulo Whitaker / Reuters

Responsável por apitar o jogo que começa às 16h (horário de Brasília), o turco Cunneyt Cakir, o mesmo que apitou a final entre Corinthians e Chelsea, pelo Mundial de Clubes de 2012, chega sob forte pressão ao estádio cearense, principalmente por conta da polêmica criada no jogo entre Brasil x Croácia. Após a partida de estreia da Copa do Mundo, os croatas vociferaram contra o que consideraram simulação desrespeitosa do centrovante Fred. 

"Eu não sei se ele sentiu a pressão. Eu estou apenas desapontado, porque não merecemos isso, merecíamos um resultado bem melhor aqui, nós mostramos que temos qualidade para vencer o Brasil. Nós falamos de respeito aqui (na Copa do Mundo). Eu não vi respeito. Tivemos várias reuniões com os árbitros, isso é uma vergonha para pessoas que tomam decisões como essas", disse o zagueiro Lovren na ocasião, que cometeu a infração marcada pelo japonês Yuichi Nishimura.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e o grupo da Seleção Brasileira tentaram durante toda a semana minimizar a situação, colocando até um depoimento de Fred no site da entidade para apoiar a decisão do árbitro japonês.

"Foi pênalti claro. Não existe mais pênalti ou menos pênalti. A Fifa mandou a comissão de arbitragem para orientar todos os jogadores de todas as seleções para não ter agarra-agarra, porque ia ter o pênalti. Naquele lance, eu dominei com a direita para girar pela esquerda. Sofri uma carga no ombro e perdi o alcance da bola. Com isso desequilibrei e caí”.

Fato é que o assunto continua repercutindo. Felipão, que após a partida já havia dado sua opinião apoiando a marcação do pênalti, teve de responder na entrevista sobre o jogo contra os mexicanos se crê que o árbitro turco entrará com pressão para apitar Brasil x México. "Primeiro lugar não tenho problema nenhum com arbitragem. Eles apitam, nossos jogadores jogam. Teve um lance ou outro discutivel. Quem tem que falar com a arbitragem são os árbitros, federação. Temos que jogar não tenho nenhuma preocupação".

Internamente, o treinador tem mostrado muita irritação com o assunto. Ele crê que a repercussão internacional que o lance ganhou é uma tentativa dos estrangeiros tentarem desestabilizar a campanha brasileira na Copa do Mundo. O último artigo que ganhou destaque ao falar do assunto foi o publicado pelo New York Times, que publicou uma reportagem com o título "Onde a desonestidade é a melhor política, o futebol dos Estados Unidos cai rápido". O jornal chamou o lance de "queda teatral" de Fred e deixou a entender que os americanos não se dão bem no futebol porque não sabem simular. 

Mexicanos

O México não parece ser um destes rivais que está com a intenção de jogar pressão para a arbitragem apitar contra o Brasil. Durante as entrevistas concedidas um dia antes da partida em Fortaleza, os mexicanos parecem já ter esquecido dos gols anulados contra Camarões e não temem pelo desempenho do juiz no duelo contra a Seleção. 

<p>Dois gols legais marcados por Giovanni dos Santos foram anulados no jogo dos mexicanos contra Camarões</p>
Dois gols legais marcados por Giovanni dos Santos foram anulados no jogo dos mexicanos contra Camarões
Foto: Reuters

"A gente não está pensando nisso. Tivemos marcações não muito corretas e não reclamamos (contra Camarões). Ninguém em campo reclamou, não foi para cima do árbitro. Nos concentramos em campo. Vendo na tela, eu ficava mais chateado, mas os jogadores não podem pensar no erro do árbitro. Se nos desconcentrarmos, especialmente em um jogo tão importante, podemos ter problemas. Quero que se concentrem no próprio jogo", afirmou o treinador Miguel Herrera.

"Não acredito que terá pressão em cima do árbitro para nos beneficiar pelo que aconteceu na primeira rodada. Não me preocupo com arbitragem. Treinamos muito e nos preparamos para fazer um grande jogo independente disso", completou o zagueiro Salcido.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade