0

David Luiz deixa a Copa em baixa; veja termômetro pós-vexame

9 jul 2014
06h44
atualizado em 13/7/2014 às 10h20
  • separator
  • 0
  • comentários

O Brasil se despediu da Copa do Mundo de 2014 com duas derrotas acachapantes contra a Alemanha e Holanda. Foram 10 gols sofridos, o que comprometeu principalmente a avaliação dos defensores brasileiros. David Luiz, por exemplo, teve bom desempenho até as quartas. Mas entrou em pararfuso na semifinal de disputa do terceiro lugar, se jogando para o ataque de forma desesperada e comprometendo a análise de seu futebol no Mundial.

Veja quem deixa a Copa em baixa ou em alta e quem deve continuar na Seleção até 2014.     

Goleiros

Júlio César defende a cobrança de Aléxis Sánchez
Júlio César defende a cobrança de Aléxis Sánchez
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Aos 34 anos, o goleiro Júlio César completou sua segunda Copa do Mundo como titular e se despediu da Seleção com dez gols levados nos dois últimos jogos. Ao todo foram 14, que somados aos quatro sofridos na África do Sul fizeram do camisa 12 o mais vazado da história do Brasil em Copas, superando Taffarel.

Apesar dos 31 anos, Victor desponta como uma das possíveis apostas para o gol brasileiro em 2018, quando vai estar com 35 anos. Fez bons treinos com a Seleção Brasileira e precisará manter boas performances no Atlético-MG para garantir esta condição. Situação semelhante vive Jefferson: mesma idade e perspectiva para Rússia. Nenhum dos dois jogou a Copa.

Laterais

A seleção Brasileira treinou mais uma vez nesta quinta-feira na Granja Comary, Rio de Janeiro. Os jogadores já se preparam para a partida de sábado contra o Chile, no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte. Na foto, Daniel Alves
A seleção Brasileira treinou mais uma vez nesta quinta-feira na Granja Comary, Rio de Janeiro. Os jogadores já se preparam para a partida de sábado contra o Chile, no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte. Na foto, Daniel Alves
Foto: Gaspar Nóbrega / Vipcomm

Daniel Alves tem 31 anos e teve uma Copa do Mundo irregular, com muitas críticas por conta de sua marcação, inclusive perdendo lugar para Maicon. Deixando o Barcelona e com uma idade que será de 35 anos na Rússia, o lateral pode até continuar para um período de transição, mas dificilmente chegará à sua terceira Copa do Mundo.

Maicon esteve ameaçado de encerrar a sua carreira na Seleção com Mano Menezes, mas foi resgatado por Felipão para ser a sombra de Daniel Alves. Com 32 anos, não deve ser mais chamado e não teve destaque quando jogou.

Marcelo tem apenas 26 anos e boas condições de ser mantido como um dos alicerces da nova Seleção apesar de uma Copa sem brilho. Em uma posição carente no futebol brasileiro, dificilmente deixará de ser convocado pelo próximo treinador, apesar de uma Copa bastante irregular.

O reserva Maxwell foi aproveitado com discrição apenas na disputa do terceiro lugar e, com 32 anos, deve ter feito sua despedida da Seleção com a Copa do Mundo.

Zagueiros

Capitão, Thiago Silva se isolou antes das cobranças de pênalti
Capitão, Thiago Silva se isolou antes das cobranças de pênalti
Foto: Vanderlei Almeida / AFP

David Luiz deixa a Copa do Mundo em baixa por causa de suas duas últimas partidas. Partindo para o ataque de maneira atabalhoada, irritou até companheiros e vai ter de se controlar no futuro. Antes do final ruim, fez uma boa Copa. Seu espírito de liderança abre inclusive a possibilidade de o zagueiro ser alçado a capitão para o próximo ciclo.

Thiago Silva teve a sua capacidade de liderança questionada por sua distância em relação aos companheiros nos pênaltis diante do Chile e pelo choro descontrolado pela situação. Completará 30 anos em setembro e, dentro de campo, continua como um dos melhores zagueiros. Pode perder espaço dentro da Seleção, mas não descartado. Foi seguro na Copa, mas fez pênalti em Robben na decisão do terceiro lugar e levou cartão amarelo bobo que o afastou da semifinal.  

Dante deixa a Copa do Mundo em baixa, sem saber como será o seu futuro na Seleção. Com 30 anos, pode  ficar fora diante de um processo de renovação ou até mesmo por gosto do treinador. Teve poucos minutos em campo durante todo o ciclo até 2014 e participou de um jogo completo apenas na derrota para a Alemanha por 7 a 1. E foi mal.

Homem de confiança de Felipão, Henrique tem futuro incerto depois da Copa do Mundo. Com 27 anos, suas convocações dependerão de quem assumir a Seleção e de seu desempenho no Napoli, seu atual clube.

Volantes

Luiz Gustavo e N'Guemo disputam bola na partida entre Brasil e Camarões
Luiz Gustavo e N'Guemo disputam bola na partida entre Brasil e Camarões
Foto: AFP

Antes desconhecido, Luiz Gustavo ganhou respeito com suas atuações pela Seleção Brasileira na Copa das Confederações e Copa do Mundo e dificilmente deixará o grupo, independente de quem for o técnico. Ele tem apenas 26 anos e sai em alta.

Semifinal contra a Alemanha à parte, Fernandinho já tem 29 anos, mas vive seu auge na carreira. Contratado recentemente pelo Manchester City, o volante tem grandes chances de permanecer na Seleção Brasileira, inclusive com mais espaço do que o concedido por Felipão.

A situação de Paulinho vai depender muito do futuro de sua carreira em clubes. A perda de espaço no Tottenham interferiu em seu desempenho na Seleção durante a Copa do Mundo. Com 25 anos, o futuro com a camisa verde e amarela está nos seus pés.

Hernanes tem 29 anos, mas sua presença apagada na Copa do Mundo pode interferir em sua sequência na Seleção. Com um estilo peculiar, afeito a lançamentos e bom controle de bola, tem seu futuro dependente de quem será o novo treinador e como se portará na Inter de Milão, seu atual clube. Sai em baixa da Copa por ter feito treinos em que exagerou na força. 

Ramires está a caminho do Real Madrid e deve continuar na Seleção. Com 27 anos, tem como desafio ganhar mais espaço com o novo treinador, pois em 2014 completou sua segunda Copa como reserva. Fez uma Copa discreta.

Meio-campistas

Oscar comemora o terceiro gol do Brasil na partida, encerrando a estreia com vitória de 3 a 1 sobre a Croácia
Oscar comemora o terceiro gol do Brasil na partida, encerrando a estreia com vitória de 3 a 1 sobre a Croácia
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Oscar é jovem e dificilmente deixará a Seleção até a próxima Copa do Mundo. Tem 22 anos, joga no Chelsea e, apesar de alguma instabilidade, deixa o seu primeiro Mundial com saldo positivo. Foi  melhor jogador do vexame com a Alemanha e da disputa do terceiro lugar com a Holanda.

Com 25 anos e comemorando uma boa primeira temporada no Chelsea, Willian pode inclusive ganhar mais espaço no próximo ciclo. Treinou bem, foi pedido por muitos como titular e deve fazer parte dos planos do próximo treinador.

Caçula da Seleção, Bernard tem como principal entrave para a permanência no grupo seus obstáculos na carreira em clubes. Contratado pelo Shakhtar Donetsk, convive com incertezas do Campeonato Ucraniano e já manifestou vontade de deixar o país. Jogou muito mal contra a Alemanha e sai em baixa.

Hulk viveu altos e baixos nesta Copa do Mundo e tem a permanência em risco na Seleção Brasileira. Ainda tem 27 anos e pode ser convocado pelo menos no momento de transição. Mas terá de reconquistar espaço no novo ciclo.

Atacantes

Neymar e Luiz Felipe Scolari vibram com a vitória brasileira
Neymar e Luiz Felipe Scolari vibram com a vitória brasileira
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Neymar é nome certo no próximo ciclo. Alternou uma boa primeira fase com oitavas e quartas de final abaixo do esperado. Ficou fora do restante da Copa por lesão. Mas sua condição de maior estrela da Seleção continua intocada.

Jogador mais criticado da atual Seleção, Fred não terá mais chances na Seleção. Com 30 anos e a carreira já em descendente, abrirá espaço para outros atacantes no ciclo até 2018.

ainda não é visto como jogador de Seleção para muitos torcedores. E terá vida difícil, mesmo aos 27 anos, para permanecer no grupo.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade