0

Felipão enfrenta "catástrofe" no tempo mais curto de treinos

Treinador terá dois dias para arrumar um substituto de Neymar e preparar time inédito para desafiar Alemanha na semifinal

6 jul 2014
07h06
atualizado às 07h06
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Felipão conversa com Willian, possível substituto de Neymar</p>
Felipão conversa com Willian, possível substituto de Neymar
Foto: Daniel Ramalho / Terra

A dimensão do problema enfrentado por Luiz Felipe Scolari na preparação para a semifinal da Copa do Mundo pode ser medida pela palavra utilizada pelo treinador em entrevista à Rede Globo. “Em qualquer catástrofe, surge a oportunidade de fazer algo diferente”, disse o técnico, que terá apenas dois dias para colocar em prática seu plano para o momento de crise antes da semifinal diante da Alemanha, terça-feira, em Belo Horizonte.

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

Ficar sem Neymar, jogador presente em todas as partidas desde 2013 da Seleção, já seria um desafio para Felipão em uma longa preparação. O tempo curto, com o menor intervalo de dias entre as partidas da Copa do Mundo, apenas aumenta a pressão em cima do técnico que ainda não revelou qual seria o substituto do camisa 10.

Na mesma entrevista ao Jornal Nacional o técnico citou, na seguinte ordem, suas opções para o lugar de Neymar: Willian, Ramires e Bernard. Mas deixou no ar uma mudança radical ao dizer que nestas horas surge a oportunidade de fazer algo diferente. Vale lembrar que Thiago Silva, suspenso, também não joga.

As apostas são muitas. A mais simples seria a entrada de Willian no lugar de Neymar, o que não modificaria a estrutura tática apresentada pelo time na Copa do Mundo. A mais radical envolveria a saída de Fred para reforço do sistema defensivo. Veja todas as opções aqui.

O mistério será desfeito em treino que terá início às 15h30 (de Brasília) deste domingo. Na segunda, véspera da semifinal, Felipão terá a última chance de treinar um time inédito para encarar a Alemanha. Serão ao todo cerca de uma hora e meia para cumprir a difícil missão. Justamente antes de enfrentar um time com sistema de jogo definido há anos.

Mano Menezes ainda era o técnico na última vez que o Brasil jogou sem Neymar. Vitória por 3 a 1 sobre a Dinamarca no longínquo maio de 2012, com dois gols de Hulk. Apenas Thiago Silva, Marcelo e Oscar completaram aquele time entre os jogadores hoje treinados por Felipão.

Veja os gols em 3D da Copa Veja os gols em 3D da Copa

Veja também:

Com seis atletas com Covid-19, Flamengo tem prova de fogo na Liberta em jogo no Equador
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade