PUBLICIDADE

Felipão reclama de pancadas em Neymar e ironiza "cai-cai"

28 jun 2014
19h28 atualizado às 21h09
0comentários
19h28 atualizado às 21h09
Publicidade
<p>Neymar e Luiz Felipe Scolari vibram com a vitória brasileira; proteção do treinador</p>
Neymar e Luiz Felipe Scolari vibram com a vitória brasileira; proteção do treinador
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Neymar chegou ao fim da prorrogação contra o Chile se arrastando em campo, mancando, demonstrando estar sentindo dores no joelho direito. Para Felipão, a situação de seu camisa 10 foi resultado de pancadas recebidas ao longo do jogo encerrado em 1 a 1 e vencido pelo Brasil nos pênaltis.

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

“A primeira jogada foi aos 5 ou 10 minutos e o adversário bateu pesado”, disse Felipão, que disse ter se lembrado de uma situação parecida vivida em 2006, quando era treinador de Portugal.

“Eu me lembrei de quando em 2006, aos 5min ou 10min, o Boulahrouz da Holanda quebrou o (Cristiano) Ronaldo no meio (pelas oitavas de final). E aí depois de 15 minutos ele teve que sair de jogo”, disse.

Para defender Neymar, Felipão citou Alexis Sánchez, um dos melhores deste sábado. O chileno sofreu sete faltas e foi o mais caçado em campo, mas o treinador do Brasil fez uma comparação com a camisa 10 brasileiro, parado cinco vezes.

“Não entendo o porquê disso. Neymar é cai- cai e caiu 2 ou 3. Foram 15 faltas do Sánchez, ele se jogou 12 vezes. O Neymar tem que ser valorizado porque fez esforço muito grande”, disse, exagerando nos números de faltas sofridas pelo rival.

Felipão ainda demonstrou preocupação com a condição do atleta, que bateu pênalti mesmo sentindo dores. “Teremos 3, 4 ou 5 dias com inchaço ou problema grande para colocá-lo no próximo jogo”, afirmou.

O médico José Luiz Runco, porém, minimizou a preocupação de Felipão e disse que o maior prejuízo foi ao desempenho deste sábado. "Neymar levou um tostão. Vai doer um pouquinho, mas nada que possa comprometê-lo. Evidente que devia estar incomodando um pouquinho pelo trauma que tem, mas é do jogo. Faz parte, não tem como tirar um atleta desses por conta desse tipo de lesão. Mas ele vai bem, na próxima partida ele vai estar tranquilo", afirmou.

 

 

 

Ouça as principais músicas do Mundial:

 

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade