PUBLICIDADE

Felipão respeita México, mas brinca sobre tropeço olímpico

16 jun 2014
15h59 atualizado às 16h10
0comentários
15h59 atualizado às 16h10
Publicidade
<p>Felip&atilde;o afirmou que time do M&eacute;xico que jogou com o Brasil, na Copa das Confedera&ccedil;&otilde;es de 2013, &eacute; diferente do que a Sele&ccedil;&atilde;o encontrar&aacute; no Cear&aacute;</p>
Felipão afirmou que time do México que jogou com o Brasil, na Copa das Confederações de 2013, é diferente do que a Seleção encontrará no Ceará
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

O técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, fez questão de ressaltar durante a entrevista concedida um dia antes do jogo contra o México de que os brasileiros não tem de esperar uma situação parecida como a que encontrou na vitória sobre o rival, por 2 a 0, na Copa das Confederações de 2013. Para Felipão, o fato dos jogadores terem enfrentado os mexicanos muitas vezes, nos últimos anos, é um fato que ajuda, mas não será essencial para a partida desta terça-feira, na Arena Castelão.

"Ajuda todo estudo que a gente tem, mas não esqueça que a seleção mexicana nos últimos 12 meses mudou dois técnicos, a forma de jogar também mudou. A seleção que jogou contra nós era no esquema 4-4-2, hoje é diferente. Temos que olhar o adversário, a equipe muda bastante dependendo do técnico, os jogadores não mudam, mas as características e táticas mudam", disse o treinador da Seleção.

Em uma entrevista dominada por perguntas de mexicanos, Felipão mostrou bom-humor quando foi indagado sobre a derrota da Seleção para os mexicanos nos Jogos Olímpicos de Londres de 2012. Na época o treinador da equipe era Mano Menezes, que viu o sonho da medalha de ouro acabar com a derrota por 2 a 1.

"Não tenho nenhuma, eu não estava lá (risos). Como torcedor, não gostei porque a gente perdeu. Tenho conversado uma ou outra coisa com os atletas que participaram daquele jogo para pegar mais dados sobre os mexicanos, como jogadas ensaiadas e o que viram para acrescentar alguma coisa. O México sempre tem atitudes de grande equipe e se comporta como uma grande seleção".

Vampeta compara Seleção de 2002 com atual: "grande diferença":

Para Felipão, o prognóstico do duelo desta terça em Fortaleza é um jogo acirrado e decidido por uma diferença pequena de gols. "(Jogo) equilibrado, eles devem ter um posicionamento correto do início ao fim. Vale lembrar que quando jogamos aqui, o segundo gol do Brasil foi feito aos 40 e pouco minutos do segundo tempo. Os dois jogam futebol de qualidade, tem boa movimentação...Uma vitória nos deixa em uma situação altamente confortável, temos uma equipe em grandes condições, a cada dia em melhores condições. Mas não espere que o Brasil seja o dono da festa sem que o time contrário tenha a participação boa".

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade