PUBLICIDADE
Logo do

Coritiba

Meu time

Couto Pereira vira palco de guerra após rebaixamento

6 dez 2009 19h25
| atualizado em 7/12/2009 às 09h42
Publicidade

Após o apito final que decretou o rebaixamento do Coritiba para a Série B, com o empate em 1 a 1 com o Fluminense, a torcida transformou o Couto Pereira em uma praça de guerra.

» Fotos de Coritiba x Fluminense
» ESPN: assista ao vídeo das confusões em Curitiba
» Flu empata, se salva e rebaixa Coritiba
» Veja a classificação atualizada
» Confira a tabela e os resultados
» Comente o resultado no Couto Pereira

Torcedores e policiais entraram em confronto e várias pessoas ficaram feridas. Foi preciso chamar reforço do helicóptero da Polícia Rodoviária Federal para socorrer os feridos em estado mais grave.

Assim que o jogo acabou, o árbitro Leandro Vuaden precisou deixar o gramado correndo e sob proteção policial. Ainda assim foi agredido, mas não teve ferimentos.

Os casos mais graves foram socorridos no próprio campo e foi preciso que um helicóptero fosse acionado para dar atendimento a um torcedor que invadiu o gramado e foi agredido pelos seguranças.

O time do Fluminense também não escapou das confusões. Já no começo das comemorações pela permanência na Série A, o lateral Rui se envolveu em uma briga com funcionários do Coritiba, logo na sequência, com a invasão do campo, o time foi acuado próximo à sua torcida.

Os jogadores só deixaram o campo com escolta policial e sob muitas cadeiras.

A Polícia Militar e os seguranças contratados, não conseguiram conter os torcedores. Com pouco efetivo, a PM revidava as agressões dos torcedores com cadeiradas que eram arremessadas das arquibancadas.

Seguranças com pedaços de ferro também tentavam conter a fúrias da torcida, mas causaram mais revolta.

Ainda não há levantamento oficial do número de feridos. Mas a violência atingiu a cidade toda. E foram constado vários focos de brigas, vandalismo em diferentes bairros.

Fonte: Especial para Terra
Publicidade