0

Carille repete Tite e planeja arrumar o Corinthians a partir da defesa

3 fev 2017
08h41
  • separator
  • comentários

Orgulhoso ao se propagar como um pupilo de Tite, o técnico Fábio Carille recorreu a uma antiga filosofia do comandante da Seleção Brasileira para também fazer sucesso no Corinthians. Ele quer arrumar a equipe de 2017 a partir da defesa, conforme tem doutrinado os seus comandados.

Quando era dirigido por Tite, o Corinthians sempre primou por ter um dos melhores sistemas defensivos das competições que disputou. Em determinado período, o treinador até passou a ser criticado por acumular igualdades por 0 a 0 em série, já que os seus atacantes não acompanhavam o bom rendimento dos zagueiros.

Na terceira e última passagem pelo Corinthians, Tite retornou dos seus estudos na Europa disposto a ter um ataque que empolgasse. Passou a alardear que usava o sistema tático 4-1-4-1, com triangulações, e enfim conseguiu aumentar o número de gols marcados por seu time. O termo "empatite" virou piada até para ele mesmo.

Com o desmanche da equipe campeã brasileira em 2015, porém, o Corinthians voltou à época em que arrumar a defesa é mais importante. Antes de se preocupar com a eficácia do ataque, Carille espera corrigir os problemas de marcação apresentados no ano passado. Os jogadores já entenderam o recado.

"A gente ainda está no início de um trabalho, sabendo que temos que melhorar algumas coisas. Mas o Carille tem conversado com todos e mostrado que primeiro se conserta a cozinha. Devemos parar de tomar gols para depois pensar na frente, em criar as nossas jogadas de gol", comentou o volante Fellipe Bastos, que tem obrigação de marcar e apoiar o ataque.

Até então, Carille tem sido bem-sucedido. O Corinthians sofreu apenas um gol nos três jogos que disputou na temporada, a goleada por 4 a 1 para o Vasco, o empate por 0 a 0 com o São Paulo (com derrota na disputa por pênaltis) e a vitória por 1 a 0 sobre a Ferroviária.

No amistoso de quinta-feira, a torcida do Corinthians já deu sinais de impaciência com a postura do time de 2017. Embora não fossem ameaçados pela Ferroviária, os titulares e os reservas de Carille tiveram dificuldades na criação. Só marcaram o gol do triunfo aos 49 minutos do segundo tempo, com o meia Marquinhos Gabriel extravasando com palavrões contra os alaridos que ouviu em Itaquera.

"A gente entende o torcedor, que está desconfiado pelo que aconteceu no ano passado", disse Fellipe Bastos. "Não é que a cozinha estivesse bagunçada, mas temos que pensar nos gols que tomamos, para que não voltem a se repetir. Se não sofrermos gols, teremos oportunidades lá na frente e certamente ganharemos os jogos", raciocinou.

A estratégia começará a ser colocada à prova, de fato, a partir deste sábado. O Corinthians estreará no Campeonato Paulista contra o São Bento, em Sorocaba, com os olhares de Fábio Carille voltados principalmente ao rendimento dos defensores Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo, Moisés e Gabriel.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • comentários
publicidade