PUBLICIDADE
Logo do

Seleção Uruguaia

Favoritar Time

Governo uruguaio analisa como reagir à sanção de Suárez

26 jun 2014 - 14h53
(atualizado às 14h59)
Ver comentários
Publicidade
Silvana de Francesco vai organizar marcha de protesto
Silvana de Francesco vai organizar marcha de protesto
Foto: Facebook / Reprodução

A ministra de Esportes do Uruguai, Liliam Kechichián, afirmou no início da tarde desta quinta-feira que se reunirá com o presidente do país, José Mujica, para analisar quais passos serão dados pelo governo com relação à sanção da Fifa contra o atacante Luis Suárez.

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

Em sua conta de Twitter oficial, a coalisão governista Frente Ampla, de esquerda, escreveu “Mais unidos do que nunca! No sábado... a ganhar!” e enviou “força” ao atacante e à seleção. De dentro da seleção celeste também surgiram mensagens, como as de José María Giménez e Alvaro Pereira, que dizia que “em respeito à gloriosa camiseta celeste e às pessoas, vamos fazer o impossível para ir em frente. Vamos que vamos!”.

Políticos de todos os partidos se pronunciaram sobre a punição, que afasta Suárez dos gramados durante quatro meses. “Só faltou a cadeira elétrica”, disse o político Sérgio Abreu, do conservador Partido Nacional, sobre a medida da federação de futebol.

Marcha e máscaras

Silvana de Francesco considerou exagerada a punição a Suárez
Silvana de Francesco considerou exagerada a punição a Suárez
Foto: Facebook / Reprodução

Nas ruas, o clima é de indignação e tristeza, e uma marcha em apoio a Suárez e à seleção uruguaia está sendo programada para esta sexta-feira. A marcha partirá da Praça Independência –a principal de Montevidéu - e seguirá em direção à Praça Liberdade, também no centro da capital.

Em entrevista ao Terra, a organizadora do movimento, Silvana de Francesco, considerou a punição da Fifa sumamente injusta. “Houve uma grande campanha para tirar do caminho um grande rival. Mas a Fifa acaba de nos dar uma força enorme. O que desejamos é que a imagem que vá percorrer o mundo agora não seja a da suposta mordida, mas sim da garra dos uruguaios que, apesar de todo o complô, não estamos derrotados, mas sim super fortalecidos.”

Em pouco mais de duas horas, a página no Facebook que convida a participar da marcha já contava com mais de mil confirmações.

Fonte: Especial para Terra
Publicidade
Publicidade