PUBLICIDADE

Ingressos falsos e cambistas preocupam Fifa e COL na Copa

16 jun 2014 - 12h29
(atualizado às 13h58)
Ver comentários
Publicidade
<p>Torcedores do México no jogo contra o Camarões na Arena das Dunas, em Natal; Fifa afirma que há entradas para jogos que ainda não foram retiradas por torcedores</p>
Torcedores do México no jogo contra o Camarões na Arena das Dunas, em Natal; Fifa afirma que há entradas para jogos que ainda não foram retiradas por torcedores
Foto: Toru Hanai / Reuters

A tentativa de invasão de torcedores argentinos ao Estádio do Maracanã e mais ingressos falsos apreendidos começam a preocupar a Fifa e o Comitê Organizador Local da Copa do Mundo (COL. De acordo com a chefe de imprensa da entidade, Delia Fischer, foram apreendidos 30 ingressos falsos nos estádios em média a cada jogo até agora.

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

“São ingressos muito bem falsificados, e que só são identificados na catraca porque não têm o chip”, comentou. “É importante alertar que somente são garantidos os ingressos comprados pelo site da Fifa ou nos centros de distribuição de ingressos”, lembrou.

Os cambistas agiam com liberdade no Maracanã, mas Delia aponta os dados da polícia para afirmar que a repressão está sendo feita. Apenas no sábado, cinco cambistas foram presos em volta do Maracanã.

Sobre a tentativa de invasão, Saint-Clair Milesi, chefe de comunicação do COL, disse que os torcedores que tentaram invadir foram pegos. Embora as imagens mostrem cerca de 30 pessoas tentando invadir e Milesi trabalhe com um número inferior. “O que podemos fazer é reter essas pessoas e entrega-las às autoridades”, disse.

Das oito pessoas retidas, uma tinha ingresso e as outras sete acabaram assinando um termo na polícia e liberados - bem diferente da África do Sul onde a punição era de detenção até o final do Mundial. “O importante é que nossa ação mostra que não estamos relaxando na atuação e que tentar entrar sem ingresso será algo que não vai dar resultado”, disse.

Hermanos esperam ver jogo entre Brasil e Argentina:

Para tentar evitar que isso aconteça, Saint-Clair admite que é necessário talvez aumentar o perímetro de segurança no entorno dos estádios (onde só passam torcedores com ingressos) e que isso já voltou a ser discutido na reunião entre Fifa, COL e os responsáveis pela Segurança da Copa do Mundo, por parte do Governo Federal. “Talvez ampliar essa proteção para quatro horas antes”, disse Milesi, mesmo sabendo que os argentinos chegaram ao Maracanã tentando entradas seis horas antes do jogo.

O COL fez ainda um apelo para que os torcedores tenham o hábito de chegar mais cedo ao estádio. O exemplo vem do jogo Suíça x Equador, domingo, em Brasília, quando cerca de 35 mil torcedores chegaram depois das 12h para o jogo que começava às 13h. “Isso dificulta e muito a operação de entrada e acomodação da torcida. É preciso que as pessoas se acostumem com esse horário”, disse Saint-Clair, lembrando que os estádios abrem sempre três horas antes dos jogos. Ainda restam 7.171 ingressos disponíveis para os jogos da Copa e 241.163 ainda não foram retirados por seus compradores.

Sobre a atuação da polícia no protesto no entorno do Maracanã durante o jogo entre Argentina e Bósnia, Saint-Clair Milesi disse que há confiança na atuação das forças de segurança e que eles não podem avaliar as ações, mas que os problemas que aconteceram foram longe do perímetro do estádio.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade