PUBLICIDADE

Organizadores se voltam para "desafio logístico" da Copa de 2014

23 out 2013
17h23 atualizado às 20h07
0comentários
17h23 atualizado às 20h07
Publicidade

Convicto de que os estádios serão entregues no prazo, o diretor-executivo do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014, Ricardo Trade, apontou nesta quarta-feira a logística das seleções como o maior desafio na preparação para a competição.

Segundo ele, o COL tem trabalhado há meses no tema em parceria com as 12 cidades-sede e agora aguarda a definição das 32 seleções classificadas e o sorteio dos grupos do Mundial para mergulhar de vez na logística dos times.

"O desafio que temos é logístico. Em 18 de janeiro já sei onde cada seleção vai ficar, jogar e quem são eles. Isso nos facilitará a organizar a logística", disse ele a jornalistas.

"É um desafio meu do COL e das cidades que vão ter que planejar para receber torcedores, seguidores e admiradores... Nunca os estádios foram um problema, mas estamos sempre atentos", completou ele, sobre o prazo de entrega dos estádios, em dezembro.

Até agora já são 21 seleções classificadas para o Mundial e até o mês que vem as 32 já serão conhecidas. Em dezembro será feito o sorteio dos grupos, na Costa do Sauípe (BA).

"Você sabendo quem vai jogar você pode viajar, conhecer o país e investir na divulgação. Mais do que isso, preparar aeroporto, transporte e deixar a casa arrumada", afirmou. "É a chance também de encontrar formas de manter o turista mais alguns dias na cidade onde vai estar sua seleção para arrecadar recursos. É uma oportunidade."

Trade disse ainda que algumas lições da Copa das Confederações foram aprendidas e que deslizes não podem ser repetidos na Copa. Ele citou os problemas enfrentados pela seleção do Uruguai, em Recife, no trajeto para o Centro de Treinamento. O treino teve de ser cancelado.

"Não queremos que isso ocorra de novo.... não podemos dar desculpa da chuva de novo. Fazemos um trabalho com a cidade para melhorar o acesso ao local, o gramado", declarou.

"Vamos tratar todo mundo a pão de ló; tudo tem que funcionar bem. Não vamos repetir esse pequeno deslize", acrescentou.

O diretor-executivo do COL deixou escapar que gostaria de ver Portugal no Brasil em 2014. Os portugueses estão na repescagem contra a Suécia.

Trade destacou que seria a chance de o Mundial ter mais uma estrela, como Cristiano Ronaldo, e citou os fatos de o Brasil ter sido colônia portuguesa e ser treinado por Luiz Felipe Scolari, que já comandou a seleção de Portugal. "Claro que traria uma proximidade maior ter Cristiano Ronaldo e Portugal", finalizou.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade