PUBLICIDADE

Veja trajetória de Higuita, folclórico goleiro da Colômbia

16 nov 2012 08h18
Publicidade

Quem acompanhou a Copa do Mundo de 1990 levou um susto ao ver um goleiro que gostava de sair da área para jogar com os pés. Era o início de notoriedade do colombiano René Higuita, que teve uma carreira caracterizada por defesas ousadas e também por vacilos, consequência da sua "loucura" em campo, como diziam jornalistas e torcedores na época em que ele atuava.

Higuita jogou 68 vezes pela seleção da Colômbia e anotou três gols
Higuita jogou 68 vezes pela seleção da Colômbia e anotou três gols
Foto: Getty Images



O lance que mais ficou marcado na trajetória de Higuita foi a "defesa escorpião". Em 1995, o colombiano escolheu o estádio de Wembley, simplesmente um dos palcos mais tradicionais do futebol, para aplicar uma das jogadas mais incríveis da história. Ao invés de defender a bola com as mãos, ele pulou para frente e jogou as pernas para trás e para o alto, como uma cauda de escorpião, bloqueando o chute de Jamie Redknapp, durante amistoso contra a Inglaterra.



Higuita também marcou gols. Ele foi um dos primeiros goleiros a cobrar pênaltis e faltas, sendo copiado futuramente pelo paraguaio Chilavert e pelo são-paulino Rogério Ceni.



O maior erro de Higuita ocorreu na Copa do Mundo de 1990, na Itália. A Colômbia tinha uma geração de jogadores de talento, liderada pelo goleiro e por Valderrama. Nas oitavas de final, Higuita tentou driblar o camaronês Roger Milla e perdeu a bola. O gol ficou vazio para o africano balançar a rede e eliminar os sul-americanos.



Natural de Medellín, o ex-atleta, atualmente com 50 anos, foi revelado pelo Millionarios, mas atingiu o auge pelo Nacional, de Medellín, onde foi campeão da Libertadores em 1989. Rodou por diversas equipes de seu país e jogou também na Espanha, México e Colômbia.



Higuita encerrou sua carreira em 2010, aos 43 anos, quando promoveu uma partida amistoso e levou cerca de 21 mil torcedores ao estádio Atanasio Girardot, casa do Nacional, onde se tornou ídolo. No jogo festivo entre a seleção de Antioqua e os "Amigos de René", o folclórico goleiro marcou gols e repetiu a "defesa escorpião".

Fonte: PrimaPagina
Publicidade