1 evento ao vivo

Capitães campeões, William e F.Luciano têm grande domingo

4 mai 2009
10h30
atualizado às 10h46

William e Fábio Luciano têm muito em comum. Demoraram a aparecer em um grande do futebol brasileiro e hoje, com mais de 30 anos, são capitães dos dois mais populares clubes do País. Neste domingo, eles levantaram as taças estaduais de São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente, tendo em campo atuações bastante destacadas.

» Veja as fotos da festa do Flamengo
» Veja as fotos da festa corintiana
» Nos pênaltis, Fla bate freguês Botafogo
» Corinthians segura Santos e é campeão

Depois de completar 34 anos no último dia 29, Fábio Luciano disputou a decisão do Carioca como quem poderia fazer a última partida da carreira. O capitão flamenguista disse que penduraria as chuteiras após a final estadual, mas há a expectativa, na Gávea, de que ele adie a decisão. Nesta tarde, Fábio se pronuncia oficialmente sobre os planos para o futuro.

Em campo, o zagueiro flamenguista teve grande atuação, se destacando na liderança do posicionamento defensivo de sua equipe como líbero atrás de Aírton e Ronaldo Angelim. Nos acréscimos, foi expulso, mas não prejudicou o Fla. Após a vitória nos pênaltis, Fábio Luciano preferiu não dar pistas sobre sua decisão.

"Não vou responder se vou parar. Isso tudo é muito emocionante, gratificante demais. São 20 anos de carreira e vários motivos para parar ou não. Quero comemorar, deixar meu coração bastante feliz e depois me tranqüilizar, pensar direito para conversar com todos na segunda-feira. Não quero dar nenhuma dica", disse ainda dentro de campo.

William, liderança silenciosa

Capitão de Mano Menezes desde os tempos do Grêmio, William, 32 anos, levantou a taça do Campeonato Paulista justamente depois de ter, na finalíssima contra o Santos no Pacaembu, realizado uma de suas melhores partidas no campeonato.

Firme na bola aérea, deu tranqüilidade para o jovem Diego, substituto de Chicão, e manteve a boa forma atuando do lado direito do miolo de zaga, já que seu companheiro é canhoto. Curiosamente, William quase foi queimado com o incêndio em meio às comemorações após a partida.

Capitão do tipo que não dá tantos gritos com os companheiros, William fala em tom moderado, mas se destaca pela liderança e pela orientação aos companheiros, sobretudo no posicionamento defensivo.

Sua personalidade serviu para também integrar Ronaldo ao elenco no início do ano. Amigo do atacante desde as categorias de base, ele amenizou a crise criada pelo companheiro em Presidente Prudente, aparecendo para pôr panos quentes na imprensa.

Com informações da Gazeta Press

Fábio Luciano ergue a taça e amplia mistério sobre continuidade da carreira
Fábio Luciano ergue a taça e amplia mistério sobre continuidade da carreira
Foto: Agência Lance
Fonte: Terra
publicidade