PUBLICIDADE

Presidente do Guarany-SE culpa gandula por descenso no Estadual

30 abr 2012 20h05
| atualizado às 20h28
Publicidade

A bola salva em cima da linha pelo gandula Rinha, impedindo um gol do Sergipe aos 47min do segundo tempo, há semanas, pelo Campeonato Sergipano, foi a ruína do Guarany. É o que acha o presidente do clube, Gilvando de Matos. O time não venceu depois do jogo (três empates e cinco derrotas), terminou em último lugar no Estadual e foi rebaixado.

» Quanto você pagaria para contratar jogadores? Veja preços e vote

"A gente sabia que aquilo só iria nos prejudicar. Por culpa do Rinha, perdemos mando de campo de dois jogos que venceríamos em casa", afirmou Gilvando.

O presidente do clube se refere aos dois jogos que o Guarany mandou fora de sua cidade, Porto da Folha (a 150km de Aracaju): a derrota por 2 a 1 para o Itabaiana, na capital, e o empate por 2 a 2 com o São Domingos, no domingo passado. De acordo com o jornalista Ivanilson Martins, da Rádio Jornal 540 de Aracaju, o estádio contribui para as vitórias do time.

"O estádio é pequeno (capacidade para 3 mil pessoas) e lá faz muito calor. Isso ajuda a conseguir bons resultados", disse.

Para Gilvando, Rinha também deu pretexto para bombardearem o Estádio Caio Feitosa. "A imprensa sergipana ficou indignada. Disse que a repercussão nacional fez a gente mostrar um campo feio para o mundo, e influenciou no caso. O procurador aumentou nossa pena de dois para oito jogos", disse.

Prejudicado no jogo, o Sergipe foi o oposto do Guarany. Depois de fazer dois pontos no turno, a equipe fez 16 no returno e é semifinalista.

Fonte: Lancepress!
Publicidade