0

Sul-Americano Sub 17

Brasil bate Nova Zelândia e vai às quartas do Mundial Sub-17

Martin Rose/Fifa / Getty Images
28 out 2015
20h12
atualizado às 20h48
  • separator
  • comentários

Foi da maneira mais suada que se poderia imaginar dentro do tempo regulamentar, mas o Brasil venceu a Nova Zelândia por 1 a 0 pelas oitavas de final do Mundial Sub-17, em Viña del Mar, no Chile, e avançou à próxima fase da competição.

O gol que deu a vitória à Seleção canarinho foi anotado por Luis Henrique, do Botafogo, em cobrança de pênalti sofrido pelo próprio centroavante e convertido aos 49 minutos da segunda etapa. Logo depois veio o apito final.

Mesmo sem ter mostrado um grande futebol, o Brasil contou com o retorno do meia-atacante vascaíno Evander, um dos destaques da equipe, e segue vivo na competição.

Agora, os comandados do técnico Carlos Amadeu enfrentam o vencedor do duelo entre Nigéria e Austrália. Os brasileiros voltam a campo para a partida das quartas de final neste domingo, 1º de novembro, novamente na cidade de Viña del Mar.

McGarry perdeu pênalti para a Nova Zelândia quando partida estava 0 a 0
McGarry perdeu pênalti para a Nova Zelândia quando partida estava 0 a 0
Foto: Martin Rose/Fifa / Getty Images

O jogo - Contando com a volta do meia-atacante Evander, do Vasco, um dos destaques da equipe que perdeu os três primeiros jogos por desgaste muscular, o Brasil começou rodando bem a bola e controlando o ritmo da partida em Viña del Mar. Faltava, no entanto, criatividade para promover situações claras de gol.

A primeira saiu aos nove minutos, quando Geovane recebeu em boa posição dentro da área, mas parou em defesa do goleiro Woud. No rebote, o botafoguense Luis Henrique bateu de primeira e mandou para fora. Depois de mais alguns chutes sem direção, o time canarinho voltou a levar uma ameaça real aos neozelandeses na marca dos 29 minutos, quando Luis Henrique voltou a ficar sozinho na frente da meta adversária, bateu buscando o canto e parou em excelente defesa de Woud.

Buscando o jogo, a joia botafoguense fez boa jogada pelo lado esquerdo aos 31 minutos, cortou para dentro e bateu, mas mandou por cima. Antes do fim da primeira etapa, a Nova Zelândia ainda reclamou de pênalti após dividida entre Ronaldo e Probert na área brasileira, mas o árbitro mandou o jogo seguir e deu cartão amarelo a Imrie por reclamação.

Ao contrário do que aconteceu na primeira etapa, o Brasil começou a segunda levando perigo à meta adversária logo no início. Luis Henrique, mais uma vez, teve boa oportunidade em sobra após dividida entre o goleiro Woud e Arthur, mas não foi preciso na finalização e carimbou a defesa adversária.

Apesar do início promissor, o time canarinho diminuiu o ritmo, esbarrando ainda na forte marcação dos oponentes, e só voltou a ameaçar aos 17 minutos, quando Evander recebeu na área, girou sobre a marcação e bateu de canhota, mas Woud fez outra boa defesa. Aos 22, foi a vez de os neozelandeses darem um grande susto no Brasil. Imrie invadiu a área e foi derrubado por toque por trás do lateral direito Kleber, do Flamengo, que foi advertido pelo lance. McGarry partiu para a cobrança e, na chance de ouro de seu time na partida, isolou a bola, mandando por cima do travessão.

Evidentemente melhor com a bola nos pés, a Seleção Brasileira conseguiu impor seu ritmo em alguns momentos nos últimos minutos, mas errava o último passe, facilitando o trabalho da defesa adversária. Já a Nova Zelândia focou sua estratégia em cruzamentos na área, sem sucesso. Quando o relógio bateu a marca de 49 minutos e o juiz se preparava para o apito final, no entanto, Luis Henrique chegou de trás para bater na área neozelandesa e foi derrubado por McGarry. O próprio atacante botafoguense foi para a cobrança e colocou no canto direito para selar a classificação verde-amarela.

 

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade